Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

30
Set18

Um murro no estômago!

Maria

Há lugares que eu acho que todos devíamos visitar na vida. Uma vez que fosse.

E partilhar.

Não é para sentir pena das pessoas. É para quando muito, sentir pena de nós próprios quando nos queixamos de merdas insignificantes. Mas sim para dar valor. Para nos fazer sensíveis ao próximo.  Para ter um "cara a cara" com realidades tão diferentes. E com um amanhã do qual não sabemos o que esperar.

 

Estive esta tarde numa conversa com um senhor de 88 anos que não conheço de lado nenhum. Desabafava. Comovido. A mulher tem um cancro galopante. Apareceu há cerca de três meses e está a sentir-se muito sozinho. Ainda há pouco passeavam pelo Alentejo.. De lágrimas nos olhos contava. "Às vezes conhece-me outras vezes não, isto é triste"... "Queria que fosse eu e não ela" dizia-me. Enquanto ela nos olhava. "Leva-me a passear. Até já" disse ela.

Tudo naquele quarto quente, mas frio. 

Caraças, aqueles murros no estômago. Isto é amor. E a vida devia ser de amor.
E esta minha mania de dizer que não gosto de domingos. Hoje é domingo. Que bom 

[Isto aconteceu hoje, numa unidade de cuidados  continuados.]

20
Set18

Sa'foda.

Maria

Partimos do princípio, de uma educação ou não, mas de valores, de coisas nossas, que as coisas têm que ser minimamente certinhas do "nosso jeito". Erguemos muros, supomos caminhos traçados. Vincamos personalidades. Fazemos de um todo para que a vida ande por ali, pelo tal dito caminho traçado que nos parece, a olho nosso, melhor.

Que sabemos nós de, antes de viver o que quer que seja, o que chega a ser melhor para nós?

Ergui demasiadas barreiras, fiquei fria e direta. Não querendo dar braço a torcer nem optando por algo que é desconhecido e que saia dos parâmetros quase sempre supostos de se manter, naquela linha ténue que é o - suposto - melhor caminho.

Há um dia em que sofremos aquele abanão. Em que o pé falseia e quando damos conta estamos estateladas no chão. Da maneira que sou, a rir. Sim, é mesmo a minha cara. Estatelada no chão e a rir de mim mesma. A rir de me estar a rir de mim mesma, logo a não conseguir parar de rir. Sempre tive essa capacidade. Graç'á Deus. E ali, meio perdida, com a ficha a entrar em conflito pergunto-me, porque já não te permites a sair da linha? A correr riscos? A ver que, o que parece ser do avesso pode ser o teu lado certo?

Entendem o que eu digo? Já sentiram isso na pele?

 

Permitam-me a expressão e sabem que mais, Sa'foda!

14
Set18

Eu Maria Já...

Maria

Eu já dei uma chapada a alguém em plena missa | Eu já fui ao Bingo | Eu já parti o salto do sapato e dei alto malho em plena rua | Eu já pertenci ao "Clube dos Caça-Cigarros" | Eu já comi frango de churrasco na praia - Calheta - de madrugada | Eu já parei na faixa de paragem de emergência da auto-estrada com alguém e fomos multados | Eu já mandei um excerto de um livro para uma editora e quando ela me pediu a obra toda não tive coragem de enviar | Eu já fiz amor numa cama com colchão de água | Eu já fui convidada para ir a um programa de Tv pelo blog e não aceitei | Eu já dei sangue | Eu já fui de férias com alguém em segredo | Eu já sou tia do pequeno mais lindo do mundo | Eu já me inscrevi como potencial dadora de medula óssea | Eu já ajudei uma amiga a sair de casa sem os pais saberem | Eu já tive uma depressão | Eu já fui ao Rock in Rio (2vezes) |Eu já bebi uma garrafa de beirão num café e adormeci | Eu já amei muito | Eu já tenho o meu carro | Eu já preparei uma festa surpresa para alguém | Eu já desmaiei numa discoteca e cai pelas escadas | Eu já apanhei uma buba de cerveja e acabei em cima da cama dos meus pais aos saltos para eles acordarem | Eu já perdi uma pessoa de quem mais gostava no Mundo | Eu já me enfiei nos provadores de uma loja com um namorado e a coisa começou aquecer | Eu já escrevi um segredo no Shiuuuu | Eu já escrevi uma sms e ao enviá-la enganei-me e enviei para a pessoa de quem falava na sms | Eu já andei de avião | Eu já disse que ia dormir e fugi não pela janela mas pela porta mesmo | Eu já confundi os sentimentos com o meu melhor amigo | Eu já dei uma chapada a quem me tentou roubar um beijo | Eu já falei mal com a minha mãe e chorei até mais não | Eu já acompanhei uma amiga com leucemia ao IPO | Eu já entrei numa esquadra e pedi para soprar ao balão e recusaram-se | Eu já fui operada com anestesia geral | Eu já jurei que estava doente com o robe vestido e por baixo a roupa para sair | Eu já pintei o cabelo de loiro platinado, de preto, de vermelho sangue | Eu já fui madrinha de casamento | Eu já fiz muitos quilómetros na mala de um carro | Eu já me enganei num quarto de hotel e entrei no momento errado | Eu já deixei de fumar e nos entretanto voltei | Eu já andei no autocarro de uma marcha em Lisboa nos santos populares porque estava com o padrinho da marcha | Eu já tive a mão do Roberto Leal no meu ombro a dizer "Que Deus esteja convosco" | Eu já acompanhei alguém numa ambulância até ao hospital e ao chegar lá não quis ser atendida e foi embora | Eu já me fiz passar por grávida para ter mesa num restaurante | Eu já voltei a sair com um ex | Eu já fui abordada por um agente do Corpo de Intervenção em serviço para me conhecer | Eu já tive um acidente de carro em que o mesmo "morreu" | Eu já conheci alguém cujo primeiro contacto foi o blog | Eu já escrevi na Capazes Eu já apanhei o ramo da noiva | Eu já fui a um bar de strip e um stripper fez-me uma lap dance de borla. À frente de todos. E tirou tudo. | Eu já recebi flores no trabalho que chegaram de transportadora | Eu já fui madrinha de baptismo, duas vezes | Eu já...

 

To be continued...(em actualização)

 

[ Este era um post de 25/09/2013 editável e em constante actualização e por isso, por lapso meu, em vez de publicar cliquei em rascunho e ele eliminou-se da página principal. Por isso volto a publica-lo hoje. Sem os comentários que já tinha que se perderam :( ]

06
Set18

Do verbo Amar [me]

Maria

gente que não se aguenta

 

As pessoas confundem muito vaidade com o gostar de nós próprios.

E nós mulheres somos as primeiras na fila a criticar[-nos]. A pôr o rótulo.

Talvez porque procurem muito a felicidade de gostar de alguém em vez de, primeiramente gostar delas próprias.

Acho que a vida me fez entender, pelos meus erros, pelas minhas experiências, pelas dificuldades dos meus, pelas adversidades e pelas pessoas que se cruzaram na minha vida que, raramente vamos ter na vida quem goste tanto de nós como nós mesmos podemos gostar. Ninguém - ou quase - fará por nós aquilo que podemos fazer. E se o nosso sorriso - que é do que me alimenta a alma - pode depender de nós mesmos, ninguém o poderá fazer mais feliz que isso.

Houve alturas em que esperei que a minha felicidade viesse de fora. De dizer que estava feliz porque me faziam feliz. E esqueci-me imensas vezes de me fazer feliz. De me dar mimos. De passar à prática a ideia de que não é por estar sozinha que não sou feliz. De gostar de mim. De me orgulhar daquilo que sou. Quem nunca?!

Depois levas ali um safanão. Que é quando normalmente alguém maltrata esse o teu sorriso e tu percebes que alguma coisa estava mal. E esse safanão valeu para eu olhar mais para mim mesma e dizer - oh pá tu és espectacular (obrigada amigos que me fizeram ver isso em momentos menos bons). E isso não é ser convencida, altruísta, egoísta, vaidosa. É uma mistura de, e não um só rótulo que é também um hábito comum de quem não tem mais nada que fazer e pratica a lei da frustração.

Há gente que não se aguenta e tão só por isso, não aguenta, quem se aguenta.

Uma pena.

É praticar mais vezes o verbo Amar[me]. Não há maior felicidade na vida que a felicidade que vem de dentro de nós mesmos.

25
Ago18

O silêncio.

Maria

Apetecia-me escrever e falar tanto. Mas opto pelo que faço sempre, o silêncio. 

Mas há uma mágoa.  

Sempre fui positiva. E sempre sorri nos piores momentos. Um escape ou uma forma de "aligeirar" a coisa, sei lá. Não sou de bater na mesma tecla, nem de bater no ceguinho. Mas tenho um coração que me trama tantas vezes. Tantas vezes.

Às vezes estou naquele mundo só meu e rodeada de gente. É como uma cúpula que mais que me proteja que proteja os outros. Dos meus dias não. Dos meus pensamentos negativos. Das minhas cicatrizes. Do meu coração apertado. Da minha vontade de deitar a toalha ao chão. 

Há uma mágoa.  Que me faz respirar mais devagar como se custasse cada sopro.

De cada vez que acho resolvida e que na verdade mói. Belisca. Incomoda.

Por muitos dias que se diga que não,  mas que na verdade sabemos que sim. Por muitos mais dias que acredito e foco - eu sou mais que isto.

Sou das experiências, dos obstáculos, das vitórias, das dificuldades, das conquistas. Sou das pessoas que me são mais, me acrescentam, das que vão ficando e sou também das que passaram. Sou feita de pedaços. Uns com mais aprendizagem que outros. Uns com mais efeitos positivos que outros.

Apetecia-ME falar, mas opto pelo que faço sempre - e quanto a isto, arrisco em dizer - e para sempre.

[ pelo menos até evito a pergunta clichê]

No fim, o importante é apanhar a toalha, enxaguar as lágrimas, respirar fundo e por a toalha para lavar 《 até porque a vida sempre me ensina 》 Respira fundo as vezes que forem necessárias para recomeçar. E recomeça ♡

 

10
Ago18

Amigos

Maria

72. Amigos.png

 

Daqueles que há à vontade para que os silêncios não incomodem. Daqueles que nos ligam sejam nove da manhã, cinco da tarde ou três da manhã já animados e que ainda nos arrancam gargalhadas ensonadas. Daqueles que viram família de tão bons que são. Daqueles que nos convidam que insistem, persistem e nos arrancam de casa em dias menos bons. Daqueles que querem que façamos parte das experiências. Daqueles que nos deixam com ciscos nos olhos, nos apertam o coração e nos fazem pensar que há amizades que valem a pena.

Daqueles que nós fazemos parte da história deles, nas páginas mais importantes. Daqueles que nos conhecem as vitórias, os sorrisos, as conquistas mas também as derrotas, as falhas, as cicatrizes. Daqueles que uma cerveja sempre é bem-vinda. Daqueles que conhecemos a porta de entrada da casa. Daqueles que o sofá já quase tem a nossa marca ou que já há uma peça de roupa por lá esquecida. Daqueles que nos sabem a dor por detrás do sorriso. Daqueles que sabem que o copo é sempre cheio. Assim como a mesa. Daqueles que não há "um dia destes marcamos isso" mas sim um "é já". Daqueles que sabem que nem sempre os dias são azuis, mas tu serás sempre azul "no matter what" literalmente. Daqueles que fizeram parte de algum "what happens in Vegas stay in Vegas", que é o mesmo que dizer algum momento que não se relata em lado nenhum. Daqueles que estão lá. 

Daqueles que nos dizem que não devíamos ter feito isto ou aquilo mas que se fod@ estão lá do nosso lado para as consequências.

Eu sou feliz por os ter. Assim mesmo. Destes malucos que nos entendem a loucura, a parvoíce, as gargalhadas e nos permitem o sorriso. Sentir. Sentir amizade é do melhor que a vida nos pode trazer.

 

Podem sempre acompanhar todas as novidades pelo Facebook. Ou pelo Instagram - @sorrisoincognito 》

 ▪Texto em destaque na página do @Sapo

03
Ago18

Seja qual for o plano...

Maria

71. Plano.png

 

Chega uma hora que pouco importa. Pouco importa se tens isto ou aquilo. 

Pouco importa se não ligares ao que tens mesmo ao lado quando tudo falta. Que és tu e pouco mais.

Nem sempre está sol. Nem sempre sorrimos. Nem sempre todos os pensamentos são positivos. Nem sempre a nossa juba é bonita e ao acordar, valha-nos deus, na maior parte das vezes não queremos que ninguém nos veja. Nem sempre nos rodeamos de pessoas boa onda. Nem sempre à nossa volta há filtros para nos proteger das coisas menos boas e podermos absorver só o melhor. Às vezes não há planos. Para que as coisas sigam um caminho melhor, quando na maior parte das vezes só arriscamos sem antever qual será mesmo o melhor caminho. Nem sempre lidamos bem com os erros. Não encontramos todas as respostas. Não conseguimos ultrapassar todas as linhas travessas que nos abalroam. 

Temos que ser gratos por tanta coisa boa que temos. Nós sabemos que temos. E chega uma hora que pouco mais importa. 

» Às vezes só é preciso mesmo que tudo dê certo! Seja qual for o plano «

[ ♥ ]

Espreitem Como eu Blog

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D