Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

13
Set19

Recomeços ♡

Maria

Recomeços

 

Do zero! Que seja. Mas que seja com coragem. Hoje ou amanhã. Daqui a um mês. Já.

Recomeçar quando acharmos essencial. Para nós. Para o nosso bem. Quando for preciso aquela lufada de ar fresco na nossa vida. Aquele novo caminho na encruzilhada. Aquele contornar obstáculos. Quando for preciso deixar ali o passado. Fechar feridas ou abrir histórias.

Coragem, sempre por nós. ♡

01
Ago19

Desafio #quenuncanosfaltemsorrisos

Maria

Já sabem que um dos objectivos [de vida] do ano é sorrir. É sempre um lema. E isso vai ao encontro de todos os dias procurar sorrir mais. Há dois anos criei o desafio para partilhar com a blogosfera o #quenuncanosfaltemsorrisos. Correu muito bem. O ano passado voltamos a fazer. Eu gostei muito e o feedback foi positivo. Não tive tempo de avisar antes, mas chegou a hora de fazer este ano.

Foi em Agosto que criei pela primeira vez este desafio de fotografia. Adorei o desafio. Primeiro pela parte desafiante de todos os dias ter um motivo para fotografar. Depois as partilhas. Adorei. Vamos a isto?

 

#quenuncanosfaltemsorrisos

 

Cópia de Desafio 2019.png

 

 

Quem me conhece sabe que se há coisa que me define é o sorriso. Há sempre mil e duas desculpas para sorrir. E se às vezes faltam algumas, procura-se um novo motivo. Sempre tento passar esse "lema". Pessoas que sorriem são sempre mais bonitas. Digo-o sempre.

Ora Agosto está aí, continua a ser para mim um mês especial que me faz sorrir imenso. É o meu mês das férias, é verão, está calor. Esplanadas. Noites à conversa. Os amigos e a família voltam à base. Mais motivos para sorrir? Sempre se encontra um que seja. Em pormenores do dia-a-dia.

Eu vou começar o desafio hoje no primeiro dia de Agosto, com uma lista que junta o que me faz sorrir, mas para quem se quiser juntar e partilhar o desafio, não tem uma data especifica para começarem, comecem quando quiserem, juntem-se a mim e partilhem.

 

NÃO ESQUECER (para quem se quiser juntar a mim neste desafio)

  • Uma fotografia por dia;
  • Podem começar a partir de qualquer momento, para participar basta usar a hashtag #quenuncanosfaltemsorrisos numa fotografia;
  • Podem fazê-lo no Facebook, no Instagram ou mesmo pelo blog (se for no blog deixem o link). Convém que sejam perfis públicos, para poderem partilhar com quem se quer juntar e visto que o objectivo é mesmo o de partilhar com todos os participantes;
  • Utilizem apenas fotografias vossas. O desafio é mesmo esse, um motivo para vocês mesmos fotografarem.
  • O objectivo é ter um motivo para fotografar, podem usar uma fotografia antiga, mas evitem.

 

Divirtam-se neste desafio e sorriam muito. Esse é o meu objectivo com este desafio.

Sigam-me no Facebook e no Instagram para verem as minhas partilhas. Ao usarem a hashtag #quenuncanosfaltemsorrisos vou poder seguir também as vossas.

Bons sorrisos!

(quem se junta e quem partilha?!)

09
Jul19

Não é algo fácil de se dizer. E entender.

Maria

Não apetece

Às vezes não apetece.

Se calhar anteriormente já disse, que o "não apetece" é desculpa mal amanhada. Mas não é.

Às vezes é só mesmo isso. Não há outra explicação. Ou há tantas que se resumem a essa mesma. Às vezes não há vontade. Não há pachorra. Não estás para aí virada. Às vezes não fazes, não queres ninguém, não queres falar, não queres ouvir. Às vezes não apetece mesmo.

Às vezes tudo parece que te aborrece e tão só por isso não apetece.

Não é sempre. Mas tem dias que não é mais nada além disso. E por isso é tudo

06
Jul19

O dia que disse - Maria Texuga tem lá calma!

Maria

Comida

 

Foi mais ao menos há um mês que resolvi que isto não dá para estar sempre a alargar. Coincidiu com a mudança de guarda roupa e o aperceber-me que muita roupa do ano passado não me serve. Grande merd@ até porque gosto sempre da minha roupa e tenho calções tão giros que não passam a coxa. E aquilo além daquele murro no estômago deu-me um click. Eu já sabia dos quilos a mais. Aliás já aqui referi que desde o fim de 2017 engordei quase dez quilos. Coisa pouco o tanas! Mas o ano passado, depois de ir ao médico e contar este aumento, andei em "teste" (e a fazer medicação) a ver se é da tiróide que anda a fazer estragos. Passado meio ano vou fazer os exames a ver se já se encontra controlada para parar de ocupar cada vez mais espaço. Engraçado, fui esta semana à consulta e a primeira coisa que o médico me perguntou foi mesmo o "continuas a engordar?" olhando para mim "é que não parece nada". A ver vamos. Mas adiante que vim trazer novidades. Boas. Na esperança de ajudar com a partilha. E para me dar força a continuar.

Quem me conhece e me segue sabe que, nas veias corre-me este gosto e prazer pela comida. Por enfardar este mundo e aquele por estar sempre aparentemente larpada de fome. Nada mudou. Mas sempre fui daquelas que comia tudo e mais alguma coisa e o prato dos outros e não engordava nada. Nada. Mas depois que essa tiróide apareceu já não é bem assim. Quando anda controlada tudo muito bem, quando se descontrola é o Deus me acuda. E fecha a matraca.

Dietas nunca foi algo que procurei. Nunca fui a um nutricionista mas também nunca fiz uma busca desenfreada pela net à procura do milagre de atacar em três tempos aqueles quilos a mais.

No dia um de Junho, pesei-me e não gostei mesmo nada do que vi. Nesse mesmo dia que nada me servia e tive que pôr de lado as peças que tanto queria usar este verão (e vou usar!). 

Pesei-me e lá estavam os dez quilos a mais. O chegar aquele peso que nunca na vida lá estive perto sequer. E aquilo mói. Não deixei de dormir por causa disso (já por não comer não digo o mesmo), mas ficou-me atravessado. Tinha começado as minhas caminhadas, mas a falhar como as notas de quinhentos.

Então foi o basta.

Pensei em ir ao nutricionista. Mas eu sou daquele tipo que, se me dizem para não fazer isto eu não paro de pensar nisso. E em termos de comida devo ser o alvo mais fraco à face da terra.

Resolvi que tinha que fazer o meu caminho. Pois bem, comer menos claro. Mas não seguindo uma dieta específica, fiz a minha própria. Não abusar de um prato. Não repetir, coisa que fazia quase sempre. Comer mais saladas. Não me empanturrar até cair ao sofá a dizer ai Maria que estou que nem me sinto. Reduzir às doses de arroz que adoro, reduzir às doses de massa que comia até se fosse preciso ao pequeno almoço porque gosto mesmo muito. Reduzir às batatas. Reduzir aos fritos e até tenho sonhado com rissóis de camarão. Reduzir ao jantar. Sim o meu mal sempre foi o jantar. Ao almoço nem como exagerado (se não for a casa) mas ao jantar abusava mesmo. Parar com o hábito de comer antes de me deitar. Bolachas de chocolate continuam ali abertas e tenho evitado tocar numa. Há um mês que ando nisto.

Tenho treino às quartas-feiras e tenho tentado não faltar. Mas já falhei.

Resolvi caminhar quase todos os dias na semana (esquece fim-de-semana). Faço um passo acelerado entre os dois quilómetros e meio três. A um ritmo que já estou habituada. E tenho a preciosa ajuda da aplicação do telemóvel "Samsung Health" que  me grava o quanto ando e isso ajuda. É motivadora, porque para além de te dar a noção do que andaste a fazer, dá-te aquele "beliscão" de querer fazer mais.

Em trinta minutos tenho uma média de 2.7km. Não é muito, mas é o querer fazer sempre igual ou mais. Isto em caminhada porque correr não posso. E passa rápido e faz bem. Sinto-me mais leve à noite. Todos os dias um bocadinho ajuda.

Dizer com isto que, num mês emagreci dois quilos e meio. Não é muito, mas emagreci. E já sinto as pernas a ganhar firmeza. Sinto-me menos inchada. E acho que foi a parte mais difícil - o começar.

Num mês que tive semanas de ir na mesma semana ao Mac duas vezes, há pizza hut e aos cachorros com molho de francesinha. Às jantaradas de cabidela e aos bolos que me trazem para o trabalho. Todos os dias como pelo menos um pão. Continuo a comprar iogurtes gregos. E quase todos os dias me oferecem croissants quentinhos pela manhã e nem sempre consigo resistir. Sim, ainda não consegui controlar não comer porcarias. Nem acho que vá chegar a esse ponto porque adoro-as (e agradeço todos os dias morar bem longe de uma pizza hut). Mas é motivador. E o importante é manter o foco. 

Eu passo todo o dia sentada. Mais uma coisa que não ajuda. Mas se uma #MariaTexuga consegue, todos conseguem.

Comer menos quantidade. Aplicações de telemóvel para motivarem a fazer exercício. E exercício físico umas vezes por semana (e rezar aos santinhos que a tiróide dê tréguas).

Partilham dicas?

14
Jun19

Descomplica!

Maria

89.  Descomplica.png

 

Isto são uns segundos de vida da qual  segundos gastamos a complicar o desnecessário. Passamos demasiado tempo em busca de algo quando não aproveitamos o que temos nem lhe damos o devido valor. Moemos a cabeça com imensas perguntas e depois nem damos valor às respostas. Que por vezes estão tão ali à nossa frente. Se tudo parece fácil é porque algo está mal e isto tem que ter outro reverso da moeda.

Passamos tempo a acreditar que as coisas melhores estão por vir. Que isto chega a uma altura que descomplica e deixa de estar tão cinzento. Quando fomos nós, na maior parte das vezes a complicar o simples.

As pessoas queixam-se mais, que o tempo que perdem a agradecer. Pedem muito e continuam sempre a agradecer pouco.

Continuamos a gastar tempo com aquilo que não nos acrescenta mesmo nas vezes que dizemos que não vamos perder esse tempo. Já foi.

Passamos o dia a correr, sem ter tempo para tanta coisa e no fim desperdiçamos o dia. Não paramos para olhar mais à nossa volta. Atendemos telefonemas no corre corre, não paramos para desfrutar da conversa. E não devolvemos chamadas porque nos esquecemos que alguém ligou. Talvez três dias depois e aí já nos penalizamos por nos termos esquecido e volta a passar. Mandamos as mensagens mais directas possíveis e até com os amigos esquecemos de relembrar o quanto gostamos daquela amizade. E precisamos.

Complicamos com a resposta "havemos de combinar".

A verdade é essa, precisamos de qualidade de tempo, e desperdiçamos o pouco tempo que temos a complicar.

Teremos nós, sempre, tempo de descomplicar?

23
Mai19

Há pessoas para ficar, há pessoas para ir!

Maria

87.  amizades.png

Sabemos sempre que com outras pessoas somos mais felizes. Somos ainda mais felizes que sozinhos. E dessas pessoas, as que nos acrescentam, somos parte. E fazem-nos mais felizes assim como nós também fazemos parte da felicidade deles. São aqueles a quem chamamos "os nossos". A quem queremos perto. Com quem partilhamos os melhores sorrisos e a quem socorremos para nos segurarem as lágrimas.

São essas pessoas que nunca podemos esquecer. E da mesma proporção que há pessoas que nos fazem ainda mais felizes. Há também aquelas que nos sugam a felicidade e muitas vezes nem damos conta disso.

Pessoas que já só estão "ali", sabe-se lá onde, mas que nunca estão mesmo "aqui". E que nem chegam a estar. Não se chegam a dar. Logo não chegam a ser das que acrescentam. Que dizem que são amigas mas que na realidade, ao olhares, não vês nada que o demonstre. Só estão ali a insistir que o são. Às vezes já podem ter sido muito, mas depois simplesmente deixam de o ser. 

[ Às vezes podemos ter uma peça que seja muito importante numa altura da nossa vida ficamos com ela porque na verdade faz parte. O tempo passa. E ela apenas fez parte naquela altura. Lá trás. Ficar com ela, dar-lhe um lugar de destaque só para lembrar que um dia foi importante é não dar valor a todos as outras que fazem o dia de hoje mais bonito. ]

Há pessoas que devemos deixar ir. Que o deixar ficar só estão a ocupar ideais falsos. Quando menos esperas vai haver uma atitude que te vai fazer perceber isso tão bem que te vai magoar.

Pessoas que magoam não fazem parte dos teus que estão lá para te fazer feliz. Se não estão, é deixar ir. Há tanta coisa que ao deixares ir te faz feliz que vais perceber que há pessoas que também são assim.

Não vão deixar de existir. Só não podes contar que estejam lá. Porque na verdade elas também não contam. Quanto mais cedo te libertares, mais cedo vais perceber o que te faz falta, o que realmente interessa e o que não! E que ninguém vive de metades de pessoas que querem estar em todo o lado mas na verdade não estão, principalmente do teu lado. ♡

29
Mar19

Porque estar sozinho também tem esse lado

Maria

fb_eb8e703f9639045f962b94ff537f9c80

 

É claro que, se eu estou sozinha por opção, por força das circunstâncias, por razões que só o coração realmente conhece, é porque gosto de estar sozinha, gosto do meu espaço, não tenho o meu coração ocupado, não quero alguém comigo só porque sim, só porque ali há um lugar para ocupar. Só para não sentir o "estigma" de estar sozinha. Não. Não quero isso. Depois da minha última relação quis um espaço. Porque uma pessoa acaba mas nem sempre acaba o amor, pode acabar a relação, a união mas o amor não acaba só porque se termina. No meu caso terminou apenas a relação o amor ficou e precisou de tempo para deixar de ter vida. As desilusões ajudam. Diz-se que o melhor “antibiótico” é outro amor, tentei, no meu caso não foi. O melhor mesmo foi ficar sozinha, divertir-me e aproveitar…
O gostar de mim é ter um passo mais fácil no caminho. Acredito naquilo que sou. Nos desastres que tive, nas opções que podem não ter sido as melhores, nas falhas, nos erros que se cometem. Mas que nunca haja o erro de estar com alguém só porque não se quer estar sozinha. Precisamos que esteja ao nosso lado alguém que acrescenta e não que seja só alguém para estar ali. Não chega. Nem é justo.
Depois há também aqueles dias em que estar sozinha não chega, falta ali quelque chose. Aqueles dias em que apetece ter alguém à espera. Aqueles dias em que apetece um abraço intenso, em que apetece ter uma mão na nossa e um coração partilhado. Aqueles dias em que apetece ter conversas de almofada (por sms não conta). Em que apetece alguém com quem desabafar e que nos ajude com os nossos medos. Alguém que nos faça sempre sorrir mais. Que nos divirta e que nos ajude a ser um ser ainda melhor.
E que não me venham dizer que quem está sozinha não sente. Ah e tal e coisa não sinto falta de nada… Ah e tal e coisa nem me lembra de semelhante… 
Porque eu não acredito.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Posts mais comentados