Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

Características boas e más do Aquário - Eu!

Um dia destes partilharam comigo um vídeo no facebook sobre o meu signo - Aquário.

Achei-o mesmo bom. Tão bom, que me apetece partilhar com vocês.

O vídeo fala sobre características boas e más do Aquário.

Se houver por aí Aquarianos, vejam se concordam e se revêem nelas:

 

1 - Os Aquarianos são pessoas únicas e Excêntricas - As pessoas muitas vezes se referem a eles como "estranhos" mas de uma maneira boa.

"Estranha" ouvi isso tantas vezes que me habituei a sê-lo. Digo muitas vezes que sinto ser diferente. Não sendo isso que me faz melhor ou pior que alguém. Mas de uma certa forma encaixo-me ali no ser "única", "excêntrica" e "estranh(íssim)a".

 

2 - Eles são independentes e sabem como fazer coisas - não são do tipo que esperam ajuda de outra pessoa.

Ora, eu espero sempre que, se precisar de ajuda, alguém esteja lá. No entanto tento sempre fazer as coisas sem pedir ajuda, sem incomodar. Procuro ou tento ver como se faz, mas se afinal não, lá terá que ser a ajuda... Mas parto sempre do principio que em cada desafio ele é para mim, só para mim. Porque se me lanço a pensar que tenho ajudas e depois não tenho, quem fica esmurrada sou eu...

 

3 - Uma pessoa de Aquário pode ver beleza em suas falhas e imperfeições - Eles vão ajudá-lo, mas tentarão transformá-lo em algo que você não é.

Discordo tanto quanto concordo - lá está isso do estranha - mas de facto aqui está a única coisa que discordo totalmente como característica, a parte de transformar alguém em quem não é. Até porque, eu sou a primeira pessoa a abandonar o barco quando mo tentam fazer...

 

4 - Eles são criativos e tendem a pensar mais do que os outros signos - Eles também tendem a ficar "loucos" por pensarem demais nas coisas.

Sou mais reticente na parte da criatividade - tantas vezes questiono-me pela minha - mas penso muito nas coisas. Demasiado até, o que leva sim, algumas vezes a ficar "louca" por pensar demasiado. É algo que ultimamente tento mudar... Na criatividade levo mais para o campo de querer ser muito eu, gosto sempre de pôr um toque meu nas coisas.

 

5 - O Aquariano acredita no Amor sem limites - Eles querem um amante, melhor amigo, alma gémea... tudo em um!

Estou solteira vale o que vale - Quando se trata mesmo de Amor não é de deixar a coisa por menos. E isso é uma coisa que fica para sempre, senão não é amor mesmo. E é isso do não ter limites. Tudo pode vir a ser transformado, mas até lá, no amor o tudo em um tem que fazer parte.

 

6 -  Eles são pessoas sociáveis - no entanto não pertencem a nenhum grupo em particular.

Acho que sou uma pessoa sociável, mas de difícil acesso. Ou seja sou bastante sociável mas não dou confianças. Às vezes sei que não é fácil chegar até mim, mas se chegam eu sou sempre sociável até me provarem que não o devo ser. E isso faz-me mesmo nunca sentir que pertenço a um grupo particular.  Primeiro porque acho que grupos por vezes criam antipatias com outros e eu gosto sempre de tentar uma opinião minha para além do que me dizem. Tenho amigos de diferentes grupos. Sabem que a minha melhor amiga hoje em dia, que o é há imensos anos, "odiei" à primeira vista? E tenho quase a certeza que o facto de sermos de "grupos" diferentes teve ao caso...

 

7 - Um aquariano é uma dessas pessoas que te perguntará algo... e, no meio da sua resposta, eles ficarão entediados, e começarão a pensar em coisas aleatórias e não se lembrarão de nada que você falou.

É muito isso, confesso. (risos) Muitas vezes não me lembro do que me contam, outras tantas de quem contou o que quer que seja. Já achei que sou distraída demais nas conversas, mas acho que não. É todo um processo que não consigo controlar, mas muitas vezes, estou completamente out da conversa. Confesso!

(por estas e por outras que as pessoas se calham gostam de desabafar comigo, afinal de contas na volta depois não me lembro de nada)

 

8 - Um Aquariano de respeito, "fala fluentemente" a língua do sarcasmo, eles têm um humor negro que pode surpreendê-lo, mas também o fará rir.

Acho que é algo que se está a apurar cada vez mais. Já me aconteceu muito responder a coisas e ficar horas a rir da maneira como respondi. Porque acho que tenho um humor que nem todos entendem. Gozo muito mas não num tom pejorativo do "gozo", mas sim no achar sempre uma piada em tudo. Gosto de roubar sorrisos, acho que eternamente vou tentar fazê-lo. Rir e fazer rir.

 

9 - Eles não mostram suas emoções com muita frequência, e não gostam de chorar em público, mas se um aquariano chorar na sua frente, é porque algo está muito, muito ruim para ele.

Se alguém que me conhece mesmo lê-se isto, diria que é a minha cara. A-P-O-S-T-O. Eu concordo. Eu já disse que choro muito, mas poucas são as pessoas que já me viram chorar.

 

10 - Se uma pessoa de aquário estiver com raiva, você certamente levará com um belo de um gelo. Quando isso acontecer, não pergunte o que eles estão pensando... é melhor não saber!

Eu costumo dizer que sou a pessoa mais adorável do mundo em bem. Em mau, que felizmente não acontece muito, rodo a baiana, bato o pé, resmungo, viro do avesso, troco mil e duas palavras em dois segundos. A sorte, é que, tal como na anterior diz, não sou muito de demonstrar as minhas emoções e a coisa fica-se por poucas vezes acontecer...

 

11 - Um Aquariano defenderá sua opinião mesmo que não seja muito popular entre os outros. Eles são líderes, não seguidores.

Eu tenho a minha opinião. E aqui não se trata de ser líder ou seguidor. Tenho a minha e vale o que vale. Mesmo que meio mundo pense diferente (lá está a parte do estranha, é chamarem-lhe o que quiserem).

 

12 - Certamente, a maioria dos aquarianos podem parecer pessoas solitárias e sem emoções, mas por trás dessa superfície, há um furacão de emoções esperando para explodir...

Já mais que uma vez aqui disse, que não somos pessoas frias por não demonstrar tantas emoções. Que não quer dizer que a gente não as tenha. Cada pessoa fria, esconde uma história. Acho mesmo que é isso. E depois da primeira impressão, pelo menos deste lado, podem encontrar um furacão a explodir de emoções sim. Os meus sabem disso. Os outros não precisam.

Lembrei-me com esta característica uma vez, um namorado meu, naquela fase das primeiras mensagens, conversas, dos primeiros encontros me dizer sempre que eu demonstrava ser um iceberg. No nosso primeiro beijo, disse algo que além de nunca esquecer, me fez rir imenso. Não particularmente pelo beijo, mas pela personalidade - "Nunca imaginei que dentro de um iceberg pudesse emergir um vulcão." É isto.

 

Pois que concordo com quase quase tudo. Quase quase tudo é tão eu, tão isto. Tão aquilo que sinto ser. Não sei se é do signo, do alinhamento ou não dos astros, das personalidades ou do diabo a quatro, mas que me sinto perante isto uma verdadeira aquariana, sinto. Acho que quem me conhece também o poderia dizer... melhor que eu até.

Aquarianos por aí? Ou mesmo que não sejam, identificam-se?

Natal

Eu sou sempre um desastre com presentes.

Nunca vi o Natal como sendo a noite da troca de presentes, quando muito em pequena. Mas mesmo assim, sempre foi [-me] a noite da família. Não tinha outro sentido. Não tem. No dia que tiver outro sentido perdi-me.

Sou a última pessoa com certeza a fazer compras. E confesso, prefiro aos meus dar dinheiro para comprarem o que precisam, ou ir com eles escolher, que propriamente dar mais uns "chinelos", um "par de meias" pela inevitável situação de ter que dar alguma coisa. Acho isso um perfeito disparate.

Gosto de saber o que as pessoas precisam, desejam ou preferem. Que comprar algo por comprar. Assim como nunca gostei que os meus me dessem algo por dar, por se acharem na obrigação de o fazer. Sinceramente não gosto disso. Prefiro mil vezes que por exemplo os meus pais se me quiserem dar uma peça de roupa que eu sei que na semana seguinte está a metade de preço me dêem na semana seguinte que propriamente no dia de natal. Até porque no dia seguinte com certeza não vou usar. Não me lembra de estrear roupa nova no natal. O Natal é para estar em casa, não gosto de andar a passear. Sempre vi o Natal como o dia da família. Nada me faz mais feliz que estar com a família. NADA.

Às vezes não compreendem quando digo que em minha casa muitas vezes não há presentes debaixo da árvore. 

Mas, quem olha para o Natal como eu olho sentirá o porquê.

Durante anos vivi um Natal em casa da avó que era o típico Natal dos filmes. Cozinha cheia. Miúdos. Família. O Pai Natal a chegar com os sacos. Crianças. Presentes. 

A avó partiu e tudo mudou. Tudo. Menos os valores que ela sempre nos passou. Que o Natal era aquele sentimento ali à mesa, a família junta. O amor. 

Após isso, tudo ficou muito mais claro para mim. Os natais começaram a ser bem diferentes. Cada um para seu lado cada vez mais. E os presentes deixaram até de ter sentido tantas vezes.

Acredito que há casas que sejam mais felizes pela troca de presentes. A minha é muito mais feliz com a troca de gargalhadas, de conversas, de brindes. Se isso me falta. Tudo o resto falta e um presente é apenas um objecto embrulhado com cor que não me tem brilho.

Isto é [-me] o Natal.

Quando não consigo passar o Natal com quem quero à mesa. Tudo o resto que pintam não faz assim tanto sentido.

Eu já passei Natais de casa cheia. Já passei Natais apenas com os meus pais (e graças a Deus). Já passei a noite da consoada de Natal num avião - a caminho dos melhores. Eu quero é que eles me tenham sentido. Com a família. Com os meus mais certos. Os presentes aí até podiam falhar mas há natal na mesma.

Já quando eles faltam. Não há natal. Muito menos presente que me valha.

O início de Dezembro é sempre angustiante para mim. Ansiosa sempre por tentar perceber como vai ser uma vez mais o Natal. Daí o comprar presentes não ter significado.

Até que as coisas se decidem.

Este ano, infelizmente o contrário do ano passado, não vou conseguir ter os meus comigo. E é isso que me faz olhar para o Natal deste ano sem sentido. Será um dia quase como os outros. Ainda nem sei bem como, mas com aqueles que eu queria não. Essa é a única certeza que tenho. E a que dói.

É por isso que digo muitas vezes, Natal é quando o "homem" quiser. E eu vou contar os dias para que, independentemente do dia em que calhar, haja um natal onde quer que seja, mas com eles. Apenas com eles há natal. Dos bons.

"Abriguem-se"

Gosto de acordar bem disposta. Do café da manhã. Não gosto de acordar já sem pachorra. Daqueles dias chatos. De nevoeiro e chuva miudinha, também não gosto de muita chuva e nem de trovoada, mas os de chuva miudinha - aquela "molha tolos" tipo a de hoje - não me agrada.

Não gosto destes modos inexplicáveis que nos fazem marionetas de um corpo. Tanto me apetece tudo como não me apetece nada. Ora quero não comer mais hoje, como me apetece comer todo um mundo (se calhar isto não é só na tpm). Ora quero acabar trabalhos, mas não me apetece mexer uma palha. Fico com ciscos nos olhos por tudo e por nada. Enervo-me até com o pão que traz farinha a mais. Quero-me concentrar numa coisa, mas estou a pensar em mil e duas ao mesmo tempo. E lágrimas nos olhos. E apetece-me estar sempre a falar com os meus. Ligo a todas as horas para ouvir mais um pouco. E depois ouço o pequeno e lá vem ciscos.

Este é todo um modo lamentável que dias há não dá para contornar. É vivê-lo, mas posso estrebuchar um pouco? É que não dá para aceitar sempre só porque sim. Raio de cena de gaja mais marada que nos havia de acontecer. E depois somos insuportáveis. Pois somos. Eu aceito. Como não?! Eu própria tem dias que é do caneco aturar-me. Mas qual a outra opção?!

Cortar os pulsos está fora de questão, em alturas de chorar por tudo e por nada a coisa não ia dar certo. Pareço as grávidas em fim de linha que ficam muito sensíveis. Ou aquelas pessoas que são demasiado lamechas. Sei lá. Isto é esquisito. Mas sinto mesmo que tudo me cutica. Talvez porque vem aí Dezembro... E eu ontem dei início à caça do pai natal de chocolate. Aquele chocolate dos pais natais são mesmo bons ou é só um fetiche meu?

Adiante. É oficial, “abriguem-se” de mim! Não sei se isto se apega ou se dá três dias antes de partir. Mas é um aviso. "Abriguem-se" de mim - ele há dias...

O amor é um lugar estranho.

54.Pensamentos.png

 

Fazes-me sorrir quando estou sozinha. Desorientas-me os passos porque fico meio perdida nos pensamentos. Sinto que fico corada do nada. Mimas-me o ego. Cuticas-me e deixas-me sem jeito. Tantas e tantas vezes. Apoio o rosto na mão em silêncio. Isso, na verdade, diz-me tanto. Atrapalho-me nas palavras. Não encontro explicações. Não procuro querer sequer entender.

 

Mas eu gosto.

[ ♥ ]

Novembro

Queria vezes sem conta que Novembro fosse mais um mês. Que não precisasse falar dele com todo este sentimento cá dentro. Mas na verdade, não consigo.

Tem-me travado a fala. A inspiração. Quero dizer(-te) tanto que acabo por não dizer nada. Fecho-me cada vez mais e escasseio as palavras.

Até posso chegar a considera-lo mal resolvido. Mas não deveria ser, de todo. No entanto a energia que baixa, sobrepõe-se a tudo e mais alguma coisa e as palavras não saem, por mais que se atrapalhem cá dentro.

Precisar de falar, sentir isso, é dar-lhe toda a importância que não queria. Mas Novembro mão me é mau. Nada disso. Pelo contrário. É o mês da melhor pessoa da minha vida e isso enche-me o coração.

Fazemos memórias na nossa história, criamos capítulos, fechamos. Mas nunca escrevemos fim. Alguém o fará por nós. E sinto, que há capítulos que ficaram as reticências. Não há espera que alguém os feche, mas porque tinham um sem número de coisas a serem escritas mas não o foram.

Pensamos vezes sem conta que, a nossa memória brinca connosco. Pelo menos a minha assim o faz. Tenho como grandes amigos os post-it porque me esqueço e distraio com mil e duas coisas, no entanto há tanta coisa que podia desvanecer com o tempo mas que na verdade nunca precisou de um post-it para ser lembrado.

Eu sou muito datas. Confesso. Tenho a particularidade de, muitas varrem-me da memória, não tanto como as que ficam. E muitas vezes, as que ficam trazem-me uma memória fotográfica descritiva pormenorizada. Assim mesmo. De momentos, que até lhes sinto o cheiro. E por isso me são fácil de lembrar.

A parte bem resolvida de tudo isto é que, lido bastante bem com a minha experiência de vida, com aquilo que vou acumulando e que vou trazendo. Ser aquilo que sou, fazendo parte todo um passado de há minutos atrás e gostar de mim tal e qual como sou. É sentir-me resolvida com o que tenho feito. Com o que trago comigo, com o que me acompanha e até copm tudo aquilo que não. É sentir-me capaz de lidar com todas as opções que fui fazendo, os caminhos que tenho traçado e até os passos atrás que tenho dado. As segundas oportunidades que dei, as que não dei e as que desperdicei.

Novembro continuará a ser aquele mês. O de dizer tudo e não dizer nada. O de lembrar. Ter saudade. O de seguir em frente. O de rir. O de sentir os ciscos no solhos. Novembro será especial enquanto tiver que ser. E enquanto as coisas andam a ser arrumadas. O resto, ser´ao resto. E o que tiver que ser será.

 

SorrisoIncógnito

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://sorrisoincognito.blogs.sapo.pt/.

<>

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.