Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

As mulheres são do piorio.

Mais um assunto que anda na boca do povo. Jessica Athayde e o seu fantástico e invejado corpo. Vejam só que depois de abrir um desfile de biquíni agora na Moda Lisboa levou com a frustração de mulheres a bradarem aos céus contra o corpo da (esbelta) Jessica. A sério. Mulher é bicho complicado. Mais que isso, mulher para deitar abaixo mulher está sempre pronta, mesmo apontando o dedo com os outros todos apontados a si própria, conotando nas outras os seus próprios erros/falhanços/defeitos. Gente complicada. Jessica respondeu à polémica e vale a pena ler o que escreveu no seu blog com o título mais que apropriado “Para mulheres reais”.

https://www.facebook.com/JessicaAthaydeOficial

"Desfilei com o corpo que tenho que é o meu e no qual me sinto muito bem."

 

Jessica querida, o problema é esse mesmo. A maior parte de quem comentou, certezinha absoluta não se sente bem com o corpo que tem. E isso deixa "infeliz" qualquer pessoa, mais que isso, não se aceitarem é mais que um passo para não aceitarem os outros, principalmente aqueles que se aceitam.

"Somos todos macacos" #somostodosfarinhadomesmosaco

Desse movimento dos #somostodosmacacos que já toda a gente viu tenho uma coisa a dizer. Sou uma macaca, o tanas e nem gosto de bananas. O gesto que o Daniel Alves fez, a maneira como reagiu à atitude pouco humana de um ser parvo que lhe atirou uma banana em pleno jogo foi surpreendente e conseguiu sair ainda mais por cima de um infeliz acto de estupidez. E a coisa podia ter ficado por ali. Foi uma boa resposta, à altura. Eu aplaudo-o de pé. Mas o mundo está mais à frente, as redes sociais são potenciadores fósforos sempre em busca de um quentinho para propagar. O Neymar abriu as portas postando uma fotografia com a banana e a campanha está a correr mundo. Eu sou por essa campanha, não necessariamente pela parte da banana ou do supostamente sermos todos macacos. Não só sou contra esse acto de atirarem coisas para dentro do campo, como contra os cânticos racistas nas bancadas. Mas, infelizmente, quantas atitudes irracionais já não assistiram nas bancadas de um campo de futebol? Tenho em mim que até o infeliz que atirou a banana ao Daniel já tenha postado a sua fotografia com a fruta de sorriso nos lábios com a legenda “Diga Não ao Racismo”. O mundo é isto, o mundo do racismo/preconceito é isto. Tem-se actos racistas mesmo quando acabamos de dizer por palavras que não o somos.

Posto isto. Sou toda eu contra o Racismo, contra as diferenças, contra o preconceito. Nós não somos todos macacos, os macacos são os macacos e nós somos os humanos, todos somos humanos.

Todos somos tão diferentes e todos somos tão iguais. A diferença está apenas naquele milímetro de pele que te cobre o corpo. As outras diferenças criam-se aos teus olhos, na tua mentalidade, na tua cabeça e no teu coração. #somostodosfarinhadomesmosaco. É aprender de uma vez por todas. Isso sim.

Um mundo tão cheio de moralismos e com tanta falta de moral.

A Rita Pereira está a ser enxovalhada em praça pública aka redes sociais devido à sua última produção fotográfica para a Micaela Oliveira em terras de Moçambique. Sim, enquanto há as fotos nas savanas e perto dos animais há também fotos junto do povo moçambicano e de toda aquela pobreza que todos conhecemos. Há uma diferença entre as pessoas que xingam a Rita pela falta de respeito perante uma produção caríssima e um povo pobre e aquelas que insultam porque sim mas eram incapazes de dar as mãos, abraçar ou deitar com uma pessoa de outra cor, para já não falar pobre. Just because you know ninguém é racista até prova em contrário e se fossemos a comprovar teríamos muito a dizer com toda a certeza.

Não estou aqui com falsos moralismos, não gosto é certo, de algumas fotografias por evidenciarem tanto a desigualdade pela falta de noção da grande diferença que existe naqueles dois mundos. Mas nós olhamos para eles e notamos miséria. Eles ao olharem para a Rita não fazem a diferença se ela usa um vestido que custa 20€ ou 1000€. Não fazem a diferença do que é uma pulseira de bijuteria ou uma pulseira de marca xpto. Não fazem a diferença se ela calça umas sandálias Seaside ou umas Jimmy Choo. Não fazem a diferença se os brincos são parfois ou uns Bulgari. Aquela criança no colo da Rita não chora porque é pobre e vive na miséria, chora como todas as crianças choram e com certeza também não é a fazer birra porque naquele dia quer pizza ut e não Mac, ou porque não quer o peluche vermelho  mas o branco da Chicco. Aquelas crianças de sorriso no rosto, que cantam e dançam quando bem lhes apetece não o fazem pelos bens que têm mas se fossem a chorar pela miséria que vivem já tinham morrido todas.

Mas que dizer de quem vai trabalhar para estes países a ganhar balúrdios juntamente com os de lá a ganharem uma miséria? Que dizer de quem lá vai passar férias mas não sai do resort porque é muita pobreza? Que dizer de quem trabalha nestes países e tem empregada doméstica a quem dá o mesmo que dá por cá a um arrumador de carros? Que dizer de quem vai a estes países e é incapaz de se chegar a esta gente? Que dizer de quem sempre se queixa e vai a um pais destes e dá de caras com um sorriso de uma criança com a bacia às costas, ou com um pedaço de um urso de peluche na mão?

Não estou a criticar quem critica. Eu própria acho muito boa a produção na savana e tenho um pé atrás com a produção no povo (mas não vou enxovalhar a moça a dizer que ela não vale um chaveto, que é má pessoa, que não tem noção das diferenças ou que é isto ou aquilo). Mas também sei que no meio de tanta crítica negativa existe muito telhado de vidro com vontade de apedrejar os outros.

Da Casa dos Segredos #6

Se me encontrasse com o Ivo dava-lhe dois estalos. Abomino este tipo de homens. Homens que bajulam à frente e por trás são todas put@s. E depois procuram que os outros tenham a mesma opinião, tirando daqui pondo acolá e acrescentando o que lhe parece bem. Não gosto. Dão-me comichão. São piores que beatas do coro.

Quando resolvi criar um blog

foi para fugir um pouco à realidade, ao meu mundo real. Quando abrisse a minha página era como que deixar de lado a rotina do dia, o stress que trouxe do trabalho, a discussão com a famelga ou quem sabe da falta de paciência para aturar este ou aquele. O facto de desabafar o que não contribui para a felicidade de ninguém e muitas vezes nem para a minha aqui, tira um peso das costas que por vezes faz melhor que emborcar um xanax. Mas porra, são em dias como o de hoje que acho que bati com a cabeça quando tive essa ideia. Basta um leve levantar da cabeça por esse mundo dos blogues que saio daqui com crises de existência blogótica (se é que a palavra existe, que não me parece). Parece uma ida ao café da aldeia, só bisbilhotice, só disse que disse, só fez o que fez e o que não fez. É que vamos lá ver uma coisa, pensar é uma coisa, fazer questão de o dizer (usando uma crítica negativa e não construtiva) é outra. Quem gosta come, quem não gosta põe de lado. Que há limites há. Uns esquecem, mas a vida fará com que se lembrem não nós. Menos minha gente, menos. que isto quando tal é só idas à bruxa para tratar males de inveja, de olhado?! ou whatever que lhes entre na cabeça...

Gente parva! *2*

Se há coisa que não percebo é porque é que se aponta tanto o dedo para falar dos outros. E normalmente quem mais critica, quem mais fala, quem mais críticas não construtivas faz é das duas uma, ou quem não sabe patavina dos factores intervenientes de que se fala ou tem telhados de vidro. Sim porque normalmente é nos outros que criticamos, íamos agora criticar nós próprios talvez até pelos mesmos erros. Era o que faltava! É que isto aconteceu com os outros mas nunca se sabe quando poderá bater à nossa porta. Isto é tudo muito bonito enquanto o nosso destino passa no dia do amanhã e no dia de hoje passou no vizinho. Quando até já fiz o que "ele" fez, mas só uma vez e nessa vez poderia ter acontecido o que lhe aconteceu agora. Porque para as coisas acontecerem basta uma vez afinal de contas a vida são dois dias não são?

Eu trair? Nunca! Passando uns anos fui amante. Eu beber? Bebo com moderação mas conduzir bêbado? Nunca. Uma vez vi-me negra para chegar a casa mas só bebi uns copos… Pé pesado eu? Nada disso. Uma vez olhei para o conta-quilómetros ia a 200 nem se notava. And so on and so on… Quem nunca cometeu erros/loucuras que atire a primeira pedra. E se realmente até correram bem só têm que agradecer e nunca condenar quem as cometeu e teve a infelicidade de não correr bem!

Vamos levar tudo ao exagero que assim é que é!

As pessoas têm a mania de levar tudo ao exagero para críticas ou comparações, acho uma tremenda estupidez. Em tempos tinha uma colega que sempre que passávamos por uma pessoa obesa ela dizia sou mais magra não sou? Aquilo constantemente já me começava a irritar até ao dia em que com o meu sorriso mais que cínico saiu-me um tu também só te comparas com pessoas que de longe são muito mais fortes! Passou. Anda aí uma onda que só me fez lembrar isto. Isso não é aumentar o ego, é querer dar-lhe umas turrinhas de compaixão!Por amor da santa. Ai eu não gosto nada de homens com pêlos e vão logo buscar o Tony Ramos… Ai eu não gosto nada de cirurgias plásticas fica-se pior que aquilo que já se era, e vai-se buscar aquela/e que por acaso a coisa até não correu pelo melhor e o nariz está torto… ai eu não gosto nada de unhas de gel e vão logo dar como exemplo aquelas afiadas com desenhos do mais piroso que há em todas e tipo arco-íris… ai não gosto nada do penteado daquela parece que leva ali a crista levantada e coisa e tal, tudo porque no dia anterior tentou fazê-lo e a cabeleireira disse que não se adequava ao seu tipo de cabelo… Ai não gosto nada daquele site/blog ou revista cor-de-rosa mas só por acaso ocupam grande parte do seu tempo a vê-los... Ai vou agora eu meter-me em dietas para ficar escanzelada como a x ou a y nem pensar no way, isto depois de terem tentado mil e uma coisa mas como não obtiveram resultados toca a fazer comparação com aquelas que até sofrem de anorexia, só para se sentirem bem… Disto, é o que não falta por aí meus queridos…

E em seguimento do post anterior...

Houve notícias pois houve. Daquelas que mais valia não ter.
Há novidades disto. Pois há. Passavam 35min. do meio dia, à pouco mesmo, quando aqui o telemóvel da Je tocou… e nada fazia prever mas foste tu, tu deste um toc, passado quase uma semana, um toc longo, mas não te respondi ao toc, não respondi nem respondo, porque depois das novidades fresquinhas que chegaram cá à “redacção” ontem…  se der seguimento a novos capítulos cheira-me que as coisas vão azedar e muito (muito mais que o que já estão) agora vai-se ver é se me consigo conter a que tal não aconteça… mas não prometo!
 
So_Risos**

 

SorrisoIncógnito

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://sorrisoincognito.blogs.sapo.pt/.

<>

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.