Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

10
Set19

Maria três. Texuga zero.

Maria

90. comida.png

 

Passou mais um mês, logo três meses do dia em que disse #MariaTexuga tem lá calma!

E que mês!

Agosto foi um mês difícil. Só em termos de números da balança. Mas mesmo difícil. Acho que foram mais os dias de asneira que os dias em que consegui seguir o meu foco de tentar comer menos. Houve festas. Férias. Jantaradas. Muitas à mesa com a família. Muitos reencontros em almoços e lanches. Muitos petiscos aqui e ali. E mais festas. E mais reencontros e mais férias. 

Confesso que até eu deixei de acreditar em mim ali a meio do mês.

Nas férias, como referi no post anterior, comi muito e muito bem e quando cheguei a casa e me pesei, foi um alívio. Não tinha aumentado o peso. Não sei bem o que aconteceu, mas nas férias tudo funcionou muito bem e também fiz bem as minhas caminhadas a pé. Deve ter sido por isso que valeu. Porque a boa vida foi muita e temi pelo pior.

Como podem ver pelo título é mais um mês positivo. Positivo é não aumentar por isso descer apenas umas gramas já valeu! Desci 200 gramas! Duzentas gramas face ao mês anterior, quatro quilos e oitocentos face ao primeiro dia que decidi ir no foco, 1 de Junho.

A sorte de não ter aumentado é que no início do mês, antes das férias principalmente, tinha baixado mais o peso e então depois quando ganhei, não aumentei o suficiente para ultrapassar o peso do mês passado. Mas anda ali rés-bés Campo de Ourique e prevejo tempos difíceis. Tenho tornado a repetir cada vez mais o prato. Logo a comer mais quantidade. E depois as caminhadas, tirando quando estava de férias e tinha que as fazer para ir à praia, foram nulas este mês. Fui a apenas duas aulas, sendo que, só tenho aula/treino uma vez por semana e estive duas semanas de férias, não fiz mais. Em casa, também durante todo o mês, não fiz exercício. Não usei nenhuma aplicação mesmo que ela me lembre quase todos os dias que tenho que fazer exercício. Um caos como percebem.

Comi muita porcaria, porque fui mais umas quantas vezes ao Mac e fui à pizza. Comi fritos, bolos, doces, gelados, comi muito bolo do alto torrado com manteiga. Comi muitos assados. Bebi álcool. Comi gelados.

Ainda assim, não aumentei do peso do mês passado. Mas agora que voltei mais ao menos à rotina, espero que este mês me traga mais resultados, se bem que, como anteriormente já disse, acho que cada vez fica mais difícil de perder peso.

Mais um mês, vamos a isso. Quem está no foco?

09
Ago19

Maria dois. Texuga zero.

Maria

90. comida.png

 

Passou mais um mês (e uns dias que me atrasei a publicar este post), logo dois meses do dia em que disse #MariaTexuga tem lá calma!

Primeiro trago as notícias das análises da tiróide. Baixaram (ainda que não para os valores normais) ao tomar a medicação nestes oito meses, logo a conclusão que tiro, ainda sem ter feito a eco, é que provavelmente terei que continuar a tomar todos os dias aquele comprimido em jejum. Mas ainda falta fazer a eco e ir ao médico. Mas já fico satisfeita por terem baixado os valores e também os do colesterol. Acredito que a "dieta" também vá ajudando.

Balanços?

Como podem ver pelo título é mais um mês com balanço positivo. Mas quando pensei que o difícil era começar agora estou com dúvidas. É que o tempo vai passando e cada vez sinto mais falta e vontade daqueles pratos tão cheios de tudo e mais alguma coisa que adoro morfar.

Tenho tentado não pensar muito em comida mas se, já antes por vezes sonhava com ela, agora o cenário não melhorou em nada.

Acabo por achar que no principio foi mais fácil afinal, mas de qualquer maneira continuo a não me negar a entregar a algumas coisas.

Tenho a noção que tenho sido bem forte quanto a não cair na tentação de não repetir o prato (menos ontem que foi cabidela e é impossível não repetir a cabidela que a minha mãe faz!). De comer menos arroz e massas à noite. De evitar mais que um pão por dia. Molhos. De não fazer a visita ao frigorífico ou aos armários antes de me deitar.  Batatas fritas. E fritos no geral. Cones de milho que tenho lá em casa e ainda vão passar a validade. Não comprar pizzas congeladas, ou lasanhas ou coisas do génro. Fáceis de cair em tentação. Tenho tentado.

Mas depois ainda não consigo resistir de vez em quando. Por exemplo, neste mês, fiz muitas almoçaradas aos domingos de assados no forno a lenha o que me faz perder a noção de um prato já que não consigo resistir. Fui ao mac. Acabei na ultima semana do mês por ir comer uma francesinha e já comecei este mês a ir à pizzaria. Não tem sido um dia de asneira por semana, o balanço ainda diz que tem sido mais.

Mas não me martirizo por isso. Confesso!

As caminhadas continuam mas com muitas mais falhas que o primeiro mês. Tenho sempre essa noção quando espreito a aplicação da samsung health e vejo o caos. No treino semanal à quarta não faltei nenhum dia no mês de Julho! E fiz dois ou três treinos em casa, segundo outra aplicação que tenho no tablet. Uma miséria, mas vá.

Dizer com isto que, neste ultimo mês, Julho, emagreci mais dois quilos (4,5kg no total). Bem bom para a miséria de "dieta" que sigo. Cada vez me sinto melhor, porque não ando tão inchada. Consegui reduzir volume na zona da barriga. E continuo a achar que vou ganhando mais firmeza nas pernas. Já consigo que alguns calções do ano passado passem a coxa e já consegui vestir uma ou outra calça que já não apertava.

Balanço mais que positivo, porque acho que fica mais difícil de perder peso agora. E com tantos descuidos e falhanços no foco. Mas a gente tenta.

Veremos para o próximo mês, mas estou menos confiante, visto que entro hoje de férias e costuma ser o caos instalado. Engordo sempre. O ano passado passou os dois quilos em quinze dias. Mas eu tenho fé nesta #MariaTexuga.

Mas se uma #MariaTexuga consegue, todos conseguem.

Comer menos quantidade. Aplicações de telemóvel para motivarem a fazer exercício. Evitar tantas porcarias. E exercício físico umas vezes por semana (e rezar aos santinhos que a tiróide dê tréguas).

Estão no foco? Partilham dicas? 

06
Jul19

O dia que disse - Maria Texuga tem lá calma!

Maria

Comida

 

Foi mais ao menos há um mês que resolvi que isto não dá para estar sempre a alargar. Coincidiu com a mudança de guarda roupa e o aperceber-me que muita roupa do ano passado não me serve. Grande merd@ até porque gosto sempre da minha roupa e tenho calções tão giros que não passam a coxa. E aquilo além daquele murro no estômago deu-me um click. Eu já sabia dos quilos a mais. Aliás já aqui referi que desde o fim de 2017 engordei quase dez quilos. Coisa pouco o tanas! Mas o ano passado, depois de ir ao médico e contar este aumento, andei em "teste" (e a fazer medicação) a ver se é da tiróide que anda a fazer estragos. Passado meio ano vou fazer os exames a ver se já se encontra controlada para parar de ocupar cada vez mais espaço. Engraçado, fui esta semana à consulta e a primeira coisa que o médico me perguntou foi mesmo o "continuas a engordar?" olhando para mim "é que não parece nada". A ver vamos. Mas adiante que vim trazer novidades. Boas. Na esperança de ajudar com a partilha. E para me dar força a continuar.

Quem me conhece e me segue sabe que, nas veias corre-me este gosto e prazer pela comida. Por enfardar este mundo e aquele por estar sempre aparentemente larpada de fome. Nada mudou. Mas sempre fui daquelas que comia tudo e mais alguma coisa e o prato dos outros e não engordava nada. Nada. Mas depois que essa tiróide apareceu já não é bem assim. Quando anda controlada tudo muito bem, quando se descontrola é o Deus me acuda. E fecha a matraca.

Dietas nunca foi algo que procurei. Nunca fui a um nutricionista mas também nunca fiz uma busca desenfreada pela net à procura do milagre de atacar em três tempos aqueles quilos a mais.

No dia um de Junho, pesei-me e não gostei mesmo nada do que vi. Nesse mesmo dia que nada me servia e tive que pôr de lado as peças que tanto queria usar este verão (e vou usar!). 

Pesei-me e lá estavam os dez quilos a mais. O chegar aquele peso que nunca na vida lá estive perto sequer. E aquilo mói. Não deixei de dormir por causa disso (já por não comer não digo o mesmo), mas ficou-me atravessado. Tinha começado as minhas caminhadas, mas a falhar como as notas de quinhentos.

Então foi o basta.

Pensei em ir ao nutricionista. Mas eu sou daquele tipo que, se me dizem para não fazer isto eu não paro de pensar nisso. E em termos de comida devo ser o alvo mais fraco à face da terra.

Resolvi que tinha que fazer o meu caminho. Pois bem, comer menos claro. Mas não seguindo uma dieta específica, fiz a minha própria. Não abusar de um prato. Não repetir, coisa que fazia quase sempre. Comer mais saladas. Não me empanturrar até cair ao sofá a dizer ai Maria que estou que nem me sinto. Reduzir às doses de arroz que adoro, reduzir às doses de massa que comia até se fosse preciso ao pequeno almoço porque gosto mesmo muito. Reduzir às batatas. Reduzir aos fritos e até tenho sonhado com rissóis de camarão. Reduzir ao jantar. Sim o meu mal sempre foi o jantar. Ao almoço nem como exagerado (se não for a casa) mas ao jantar abusava mesmo. Parar com o hábito de comer antes de me deitar. Bolachas de chocolate continuam ali abertas e tenho evitado tocar numa. Há um mês que ando nisto.

Tenho treino às quartas-feiras e tenho tentado não faltar. Mas já falhei.

Resolvi caminhar quase todos os dias na semana (esquece fim-de-semana). Faço um passo acelerado entre os dois quilómetros e meio três. A um ritmo que já estou habituada. E tenho a preciosa ajuda da aplicação do telemóvel "Samsung Health" que  me grava o quanto ando e isso ajuda. É motivadora, porque para além de te dar a noção do que andaste a fazer, dá-te aquele "beliscão" de querer fazer mais.

Em trinta minutos tenho uma média de 2.7km. Não é muito, mas é o querer fazer sempre igual ou mais. Isto em caminhada porque correr não posso. E passa rápido e faz bem. Sinto-me mais leve à noite. Todos os dias um bocadinho ajuda.

Dizer com isto que, num mês emagreci dois quilos e meio. Não é muito, mas emagreci. E já sinto as pernas a ganhar firmeza. Sinto-me menos inchada. E acho que foi a parte mais difícil - o começar.

Num mês que tive semanas de ir na mesma semana ao Mac duas vezes, há pizza hut e aos cachorros com molho de francesinha. Às jantaradas de cabidela e aos bolos que me trazem para o trabalho. Todos os dias como pelo menos um pão. Continuo a comprar iogurtes gregos. E quase todos os dias me oferecem croissants quentinhos pela manhã e nem sempre consigo resistir. Sim, ainda não consegui controlar não comer porcarias. Nem acho que vá chegar a esse ponto porque adoro-as (e agradeço todos os dias morar bem longe de uma pizza hut). Mas é motivador. E o importante é manter o foco. 

Eu passo todo o dia sentada. Mais uma coisa que não ajuda. Mas se uma #MariaTexuga consegue, todos conseguem.

Comer menos quantidade. Aplicações de telemóvel para motivarem a fazer exercício. E exercício físico umas vezes por semana (e rezar aos santinhos que a tiróide dê tréguas).

Partilham dicas?

28
Mar19

Voltei ao zumba e mesmo não sendo só zumba sobrevivi.

Maria

Dizer "o tempo passa e nem damos conta" não é apenas um cliché.

Na verdade ele corre e estamos tão embrulhadas com o dia-a-dia que parece que nem damos conta. Já não fazia exercício físico em aula há mais de um ano e por este post reparo que sim, há bem mais de um ano.

Foram as lesões. Depois os problemas de saúde. Depois os desaconselhamentos médicos. Depois a professora, minha amiga, que bazou. Depois a vontade zero e por fim deixei tudo. Nem zumba, nem aulas específicas de treino. Nada. Até que algumas vezes consegui seguir planos em casa mas acabou tudo por ir água abaixo. No início do mês de Março voltei a programar exercícios diários com aplicações. Fiz no primeiro dia e em todos os outros ignorei completamente a notificação de "mexe essa bunda e vai treinar". Esta é a verdade nua e crua.

Convidaram-me para ontem voltar. Ao mesmo sítio. Com outra professora. 

Confesso, prontamente disse "vou tentar", mas à medida que o dia se aproximava, já estava a arranjar mil e duas desculpas a mim mesma. Ontem durante o dia, achei-me estúpida. Ando cansada, as coisas não andam a correr muito bem em todo o lado e cheia de trabalho. O meu psicológico também anda desnorteado. Problemas. Saúde dos meus. Medos. Desconcentração. E achei que não haveria lugar melhor para ir desanuviar. Afinal de contas. Preciso muito. Mesmo. E nem vou falar que seja pelo bem que o exercício faz a estes quilos que acumulei. Mas precisava de uma hora sem pensar no mundo cá fora.

Ontem voltei. Disseram-me que a aula seria de zumba. E foi, mas também foi de localizada e uma amostra de Pilates.

Nos primeiros dez minutos já me apetecia desistir. O coração a querer saltar do peito e eu a querer mandar-me para o chão. Parece que nunca tinha feito aquilo na vida. O meu corpo não acompanhava a minha cabeça e muito menos os movimentos tão rápidos e ofegantes da professora. Mas a aula foi passando e tentei conseguir conjugar a minha respiração com a vontade de correr ali para fora. Não foi fácil. Nada. Os movimentos não saíram como eu queria. Doeu a puxar as pernas. A fazer abdominais. A fazer flexões e a prancha. Se doeu. Doeu querer acompanhar coreografias novas e rápidas quase sem pausas e em modo aceleração máxima. E Pilates. Que dizer? Se aquilo foi uma amostra não vai ser fácil querer arrastar-me para uma aula. Esticar braços, esticar pernas, esticar pontas do pés. Balançar para aqui balançar para ali. Sempre esticada. Só com uma perna, só com a outra tentar equilibrar e eu a aterrar quase de cabeça. Não vai ser fácil. Mas gostei de voltar. Mesmo. Tentei concentrar-me em estar só ali. Coisa que não tem sido fácil. Mas ali foi. E melhor, soube bem!

14
Jun18

Aplicações. Exercício. Foco.

Maria

Já aqui falei que gosto de conhecer, ver e experimentar aplicações de telemóvel que acho podem ser úteis. E tenho alguma facilidade em experimentar gostar e apagar caso ache que aquilo me desiludiu e não serve para rigorosamente nada. E já aconteceu com muitas que não sejam só de exercício mas de outra treta qualquer.

Gosto de conjugar aplicações e treinos. Porque acho que temos que ter uma fonte de motivação e uma aplicação pode ser esse ponto de partida. O ano passado contei a experiência que tinha com aplicações que me ajudam nas caminhadas. Foram sem dúvida motivantes e deram-me aquele beliscão que sempre andava à procura para querer fazer mais. Este ano, e porque o tempo não tem sido convidativo muito menos à noite que é quando consigo arranjar algum tempo para isso, ainda não lhes dei muito uso, mas espero começar agora as minhas caminhadas. Mas como não têm tido sucesso. E não voltei aos treinos porque a nossa PT foi embora e porque estive a fazer um tratamento que me era desaconselhado treinar...

Desde o início do mês que pensei aliar à dieta à medida da #MariaTexuga (que está longe de ser um sucesso) treinos. Daqueles que se pode fazer num cantinho lá em casa.

Vai na volta. Fui buscar o tapete que estava em casa de uma amiga para ganhar coragem e saquei uma aplicação de telemóvel qualquer que é de treinos diários.

Ora parece que a coisa está a resultar (menos na balança claro!). Mas a motivação está mesmo lá. Aquilo lembra-me todos os dias que tenho treino a fazer. E só tenho duas opções. Ou acato a ordem, ou fico com o peso na consciência de desligar o "alarme" e ligar o modo preguicite (que também acontece). Não tenho treinado todos os dias. Mas lá me vou arranjando. 

Ontem por exemplo às dez da noite sem vontade de ir para a cama, puxei o tapete liguei a aplicação e "bota e vira". É a parte mais fácil de tudo, porque está à mão de semear sempre que se queira.

A aplicação que uso tem planos de treino diários que dá para repetir as vezes que quiseres. E tem outros planos mais específicos para quem queira fazer, e as repetições de cada plano fica à vontade de cada um.

 

Tens planos de treino de seis minutos. Quinze. Vinte... Para repetir como quiseres e para juntares exercícios que tu própria conheces para dinamizar e fazer mais.

É muito simples. A ver vamos. Mas que incentiva, incentiva. Fica a dica. 

Mas gostava de experimentar mais aplicações do género. Partilham alguma?

20
Out17

Balanço do exercício físico...

Maria

Por motivos de saúde tive que baixar o ritmo de aulas. Cada vez mais. Até parar. Deixei de ir aos treinos. Fiquei-me apenas pelo zumba. Mas com a paragem das férias e de lesões. As aulas de zumba ficaram em stand-by. A "medo" voltou-se. Mas aquilo está longe de ser o que era. No entretanto...

Guardei vídeos. Tracei planos e exercícios. Preparei aulas caseiras.

...

Comprei um tapete para fazer exercício em casa há quase um mês e ainda não o tirei da embalagem sequer. 

Estamos assim. Uma #MariaTexuga com seis quilinhos a mais, que se reflectem em proporção ao sorriso, cada vez mais "largo".

IMG_20170923_203023_602.jpg

 É isto. Como vocês sabem, não sou e nunca serei uma Fashion Blogger.

07
Abr17

Aplicações de telemóvel

Maria

Eu gosto de conhecer, ver, experimentar e desinstalar se não me interessar. Não gosto de ter o telemóvel cheio de aplicações que não interessam nem ao menino Jesus. Gosto das que são práticas, das que fazem jeito. Que servem para alguma coisa e não para enfeitar ou só porque alguém me disse que é xpto.

Das conversas das caminhadas, ouvi aqui e ali, que há "n" de aplicações que são úteis. Ajudam a teres uma ideia do que andas a fazer. No entanto não pedi nenhuma a ninguém mesmo quando de vez em quando me lembrava logo me esqueci.

Ontem, farta de andar em modo preguicite e de os treinos não estarem a ser compatíveis (fora à segunda feira ser zumba e raramente faltar), à noite apeteceu ir dar uma volta a pé. O facto de não ter perto de casa sítios próprios para se andar a pé. A falta de passeios, as estradas com pouca iluminação etc.. (coisas de aldeia) nem sempre dá para longos passeios à noite. Uma pena. No entanto quero ser mais activa nisso. Já depois de sair de casa, lembrei-me de pegar no telemóvel e instalar uma qualquer aplicação só para ver "números" daquela do "vou ali e já venho" que fui fazer.

Descobri portanto que este tipo de aplicações são motivadoras. porque para além de te darem a noção do que andaste a fazer, dão-te aquele "beliscão" de querer fazer mais.

 

Como podem ver, em cerca de 40 minutos, percorri 3km num total de 4644 passos. As 144 calorias é que não deram nem para as azeitonas que serviram de aperitivo ao jantar. Mas pronto. Ficou aquele bichinho de querer fazer mais. De que para começar já é alguma coisa (mesmo sendo uma miséria para muitos bem sei), mas do que se precisa é ATITUDE (como disse um amigo meu) e que se o fizesse todos os dias era um bom progresso. A ver vamos. Mas que incentiva, incentiva. Fica a dica. Aplicação - Pacer.

Partilham alguma?

23
Mar17

Exemplo de treino grátis.

Maria

Da aula ontem quando cá fora marcavam dois graus e neve na montanha.

Ela (PT): Tem que ser para aquecer, e só para aquecer são duas series de 70 agachamentos, 50 abdominais e 30 flexões.

Antes mesmo de fazer só de ouvir já doía. A primeira série faz-se sempre na boa, quando se chega a meio dos abdominais da segunda série já apetece sair porta fora.

Pegar em algo que escorregue o pé (ver no vídeo - valslide), no caso usamos papel. Pôr por baixo de cada ponta da sapatilha e fazer o maior número de vezes que consigam:

 

1 minuto de mountain climber normal descansa 20 segundos

1 minuto de moutain climber a puxar para fora (ver no vídeo - spider); descansa 20 segundos

1 minuto de moutain climber a puxar para dentro (ver no vídeo - cross body); descansa 20 segundos

repetir outra série tudo igual.

Descansa um minuto. E nova série:

1 minuto de mountain climber a pés juntos normal; descansa 20 segundos

1 minuto de moutain climber a pés juntos a puxar para fora (diagonal); descansa 20 segundos

1 minuto costas direitas no chão, rabo levantado e com os calcanhares em cima do papel deslizar puxando as pernas até ao rabo e descendo, sempre com o rabo o máximo levantado (parece que os músculos da perna vão saltar fora); descansa 20 segundos

repetir outra série tudo igual.

Para acabar, rápido 10 Burpees (que depois de já não sentires quase os braços é coisa boa de se sentir).

Alongamento.

Dói. Resmunga-se. Fica a doer. (Hoje) Continua a doer. Mas diz que faz bem! ;)

Bora experimentar?

20
Mar17

As calças são as mesmas, o peso na balança não!

Maria

Pela primeira vez pensei em fazer dieta, ser menos #MariaTexuga. A roupa não tem deixado de servir, tem ficado mais justa. E eu ando mais preguiçosa sem tanto tempo para exercício físico. Mentirinha, devido a outros factores externos à preguicite mas "internos" à minha saúde não estou a conseguir acompanhar as aulas e os treinos como antes, as três vezes por semana. E a coisa foi-se dando e tenho a sensação que deixei mais de fazer. Quero mudar isso. Em rascunho já andam há muito exercícios para fazer em casa. Nada feito. Ainda. Mas quero. E vou fazer um plano, depois partilho. E os dias estão "maiores". Sair do trabalho de dia é mais aliciante. Quero voltar às caminhadas. Ontem fui fazer uma caminhada de ajuda a uma boa causa, a luta contra o cancro, nove quilómetros em monte. Correu super bem, mas foi cansativa. O percurso não era muito fácil para uma #MariaTexuga que está habituada apenas a subir escadas e não montes sempre no lufa lufa. Mas a coisa fez-se. Senti-me muito mais saudável. Ou apenas normal com umas dores de pernas e um cansaço compreensível. Mas as paisagens? Isso sim, vale a pena. Aliar ao exercício físico, natureza e boas paisagens é meio caminho andado para me aventurar a ir. Tão só por isso ginásios nunca foi o meu forte.

IMG_20170320_190157.jpg

 

Mas depois a #MariaTexuga que há em mim é uma danada e faz-me resistir a quase tudo menos a comida.

Posto isto, vamos lá a uma aula de zumba que hoje é dia.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

INSTAGRAM

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sorriso desde 11/02/09

<>

<>

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D