Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

Estatísticas de um final de ano!

Este é também um post que já gosto de fazer. Primeiro gosto de cuscar as estatísticas do blog e este ano o SAPO Blogs também enviou o relatório anual do blog e deu para conferir.

Os posts mais visitados do blog em 2017:

  1. Expressões à moda das “tripas” do Porto!
  2. Do deitar a toalha ao chão.
  3. A jornada de uma amigdalite.
  4. A violência em Portugal
  5. Dicas de Poupança.
  6. Do Outono que não há em mim.
  7. Ter um blog é também (infelizmente) isto...
  8. Diz que, há sempre uma primeira vez*
  9. Dicas de Poupança.
  10. 1/365

Acabei o ano com cerca de 289.000 visitas com alguns destaques pelo SAPO blogs no ano. Com cerca de 250 posts feitos durante o ano. E em que a Chic'Ana parece que foi a melhor comentadora. Obrigada querida é sempre bom ter-te por cá - btw saudades mas a causa que te tira tempo é das melhores do mundo, presumo!

Com cerca de 3700 likes no Facebook e 480 no Instagram. Na posição 296 geral e na 28 categoria Pessoal no Blogs Portugal.

Para quem fez/faz parte dos números, mas que é muito mais que simples números e fazem parte deste espaço também, Obrigada e voltem sempre!

Feliz Ano Novo!

Desejo sorrir cada vez mais. Mesmo! Baixar barreiras, destruir muros. Queria que se não fosse melhor que este ano que fosse igual, mas no fundo desejo de 2018 um bocadinho mais. Que eu tropece em pessoas boas e que leve os negativos para o raio que os parta [não confundas, por favor]. Simples assim. Directo e sem engolir sapos. Que possamos sorrir juntos. Desejar mais. Sonhar, ainda que de olhos abertos e pés assentes no chão. Abrir o coração. Ser simpáticos e guardar o mau humor nos lençóis antes mesmo de sair da cama. Apreciar o arco íris. Falar, conhecer, ir. Não deixar ficar quem só tirou bilhete de passagem. Já basta a passagem do ano. Ter coragem. Enfrentar. Ser forte. Gostar de nós, mais de nós. Primeiro sempre nós.

Ser feliz! Minimizar más energias. Procurar sorrisos. Agradecer sempre. Cuidar. Cuidar de nós. Apaixonar. Dizer gosto de ti. Fechar feridas. Seguir em frente.

 

2018

  

De coração desejo-nos a todos um Feliz 2018 . Que nos seja simples e bom. Saúde.

Beijos, abraços e sorrisos,

 

Maria

SorrisoIncógnito

 

Sigam-me em:

Facebook: sorrisoincognitoblog
Instagram: https://www.instagram.com/sorrisoincognito/

O melhor de 2017

“Desafiada” pelo Inspira-me que já não existe do blogs do sapo, em anos anteriores escrevi - O melhor de 2012, 20132014 e 2015. Agora volto a sentir-me desafiada para tal. Destaco o que merece de 2017 com uns pequenos ajustes aos pontos que destaquei em anos anteriores.

  1. Um momento:

Aquele fim de semana em que na igreja, perante Deus aceitei ser madrinha de Baptismo  da filha de uns amigos, um dia depois de nascer outra menina, filha de outros amigos os quais me convidaram a ser também madrinha. Foi um fim de semana carregado de emoções por acreditar que há amizades que valem muito a pena e eu sou uma sortuda por as ter.

  1. Uma viagem:

Voltei à Madeira e o quanto amo lá voltar. Sempre que aterro naquele pedaço de terra no meio do Atlântico o coração parece que me vai saltar pela boca.

Madeira

 

Madeira

  1. Um mês:

Agosto -  Agosto foi uma loucura! Absorvi-o.

  1. As férias:

IMG_20170925_135431.jpg

 

Algarve. Voltei ao Algarve com a melhor amiga e as nossas férias são sempre uma aventura. O verão foi-me bom. O verão  sempre é bom. Fiquei com três quilos a mais dignos de uma #MariaTexuga que adora uma mesa cheia de petiscos para saborear.  

 

  1. O post mais lido de 2017:

Expressões à moda das "tripas" do Porto!

É um post já de 2013 em actualização que está todos os meses no top dos mais lidos. Por consequência o post mais lido de todos os anos. Este ano não foi excepção assim como constatei no relatório anual enviado pela equipa do sapo blogs.

 

  1. O post que mais gostei de escrever:

Os posts do coração são sempre os meus preferidos. Porque são muito eu. Continuam a ser muitas vezes inspirações de sentimentos que não consigo deitar cá para fora. Outras vezes anseios.

O amor é um lugar incrivelmente estranho. E bom. E fodido

 Às vezes só não queremos ter um "repeat" de algo que nos magoe depois de acharmos que estamos a ganhar asas de borboletas no estômago.  Às vezes é só mesmo isso. Simples assim.

Outros dois posts que quero partilhar e que foram impulsionadores de uma vontade de querer continuar e agarrar forças venham elas de onde vier. E porque acho que servem para qualquer pessoa que esteja a passar por um recomeço. :

26..jpg

 

37. Recomeçar.jpg

 

     7. O post que mais custou escrever:

Os posts do coração são sempre os meus preferidos, como já disse. Este foi escrito de coração e de ciscos nos olhos. Não foi algo de melhor que aconteceu, mas foi algo importante que merece ser lembrado. O Rex. O meu adeus ao Rex que continuo a lembrar tantas vezes com uma saudade que não se explica. É um alguém cá de casa que nos foi mas que nos é muito.

 

     8. O post de terceiros que veio parar aos favoritos:

"Dizer amo-te" por Leonismos. 

“Dizer amo-te, saíndo bem lá do fundo, é cirúrgico.”

 

     9. O trabalho:

Ter completado 10 anos de trabalho na empresa. Não foi fácil, não tem sido fácil, mas estamos cá para seguir caminho, até onde der.  Até onde eu me conseguir sentir bem apesar dos esforços, dos dias não e dos que nos fazem saltar a tampa.

 

     10. 2 meses e troca o passo sem fumar:

De tentativas está o meu "cadastro" cheio, mas como me disse o meu primo, médico,  cada vez que deixas, mais ou menos tempo, é tempo que não fumas e isso? Isso sempre é positivo.

Um lugar que sempre me faz feliz e por isso eu volto!

Vou à Madeira sempre pelo coração. É ele que me leva lá, cada vez que decido ir. Tudo o que me traz depois é acréscimo. E como eu gosto de lá voltar.

MADEIRA

MADEIRA

MADEIRA

Poncha MADEIRA

Esta foi a minha primeira poncha assim que aterrei na Madeira por volta da meia noite e depois da primeira aventura naquela pérola do Atlântico. Na Venda do Bello que sempre nos recebe tão bem, com pessoal simpático e um ambiente bem descontraído. Poncha Regional sem gelo, a minha preferida.

MADEIRA

 Podem sempre cuscar mais sobre a (minha visão da) Madeira

Desafio 52 semanas | Semana 52/52

Semana 52: No ano que vem eu quero...

 

Eis que chegou ao fim o desafio feito para o ano de 2016 e que eu, atrasadinha de todo, atrasei quatro meses a acaba-lo. Mas não desisti. Isso é que não. Neste ano, quero:

Ir onde ando a prometer há algum tempo e não vou - Por desculpas, por falta de tempo quando dá, por muitas vezes factores alheios à nossa vontade. Mas há lugares que quero mesmo ir. A ver vamos.

Desintoxicar-me de pessoas que não me acrescentam - Nem sempre estamos rodeados de apenas boas pessoas. Em algumas alturas da vida fechamos os olhos e deixamos andar aquelas pessoas que não atam nem desatam ali por perto mas que no fundo sabemos não interessam a ninguém. Este é o ano que me quero desintoxicar delas. Não me acrescentam e sei que mais dia menos dia têm mais estragos a fazer que coisas boas a dar-me.

Sorrir muito - É sempre um objectivo. É sempre uma meta a cortar. Quero sorrir com vontade. Quero procurar sorrisos, quero dar sorrisos, quero receber sorrisos. Quero muito que este seja um ano positivo.

Ler mais. Viajar mais. Conhecer mais. Quero aproveitar o tempo, deixar de desculpas. Baixar a guarda. Quero viver os meus. Continuar com trabalho. Quero muito dar mais atenção à minha inspiração e escrever mais.

Apesar de ter arrastado demais o desafio gostei de o fazer. Podem ver todo o desafio no link a seguir.

#52semanas

As pessoas não gostam de algo, mas vão "atrás" desse algo.

Não consigo perceber as pessoas que não gostam de alguma coisa, não se afastarem dessa mesma "coisa".

Não consigo perceber quem não gosta de alguém insistir em dizer a esse alguém que não gosta em vez de ir à sua vidinha.

Não consigo perceber quem não gosta de um blog seguir esse blog.

Não consigo perceber uma pessoa que não gosta de uma figura pública ser fã da página dessa pessoa.

Não consigo perceber quem não vai à bola com uma pessoa, mas mesmo assim manda-lhe um pedido de amizade no facebook.

Não consigo perceber quem... (e é por isso que escrevo ), não concorda com a mudança de nome do aeroporto internacional da Madeira para aeroporto "Cristiano Ronaldo" ter ido à inauguração.

Aplaudo as palavras do Ronaldo: "Sei que há pessoas que não estão de acordo e estão aqui". Pois há, até porque estava a assistir ao telejornal da tvi em que entrevistaram uma senhora que prontamente disse "eu sou uma das pessoas que não estou de acordo, acho que por exemplo o Alberto João fez muito mais pela Madeira". Ainda bem que eu não era a jornalista senão perguntava-lhe logo "então podia explicar-me porque carga de água vem à inauguração de algo que não está de acordo?". As pessoas não têm que estar de acordo, não têm que gostar, entendo isso perfeitamente o que eu não entendo é, a menos que se ganhe algo com isso, porque gastam tempo com algo que não lhes agrada.

Isso e quem fez o busto do Cristiano Ronaldo ou estava num dia não (temos todos) ou também não está de acordo com a mudança, certo?

Hábitos estranhos estes que as pessoas têm.

É isto. Não se percebe.

"Amar pelos dois"

 

Foi esta a música que ganhou este ano o Festival da Canção.

Deu pano para mangas, aliás como tem dado nos últimos anos, as críticas ao mesmo. Eu também sou da opinião que em Portugal há tantas boas músicas e boas vozes, mesmo amadores que se encontra por aí que... depois uma pessoa fica decepcionada.

Adiante, por acaso não me apetece falar mais do festival porque já tenho falado em anos anteriores e é um bocadinho mais do mesmo.

Pois que, ganhou a música "Amar pelos dois" interpretada por Salvador Sobral e da autoria da irmã, Luísa Sobral (que gosto de ouvir cantar).

Gosto da música (não é uma música espectacular, mas no rol...), gosto, fica no ouvido, gosto de o ouvir cantar, no entanto não consigo perceber a interpretação física da mesma. Há ali todo um conjunto exterior, incluindo o aspecto visual dele que não me inspira de todo admiração, mas ver aquela actuação com a minha mãe por perto já deu para tirar algo positivo "oh mãe já viste aquele cabelo? Benze-te duas vezes antes de falar da minha juba quando saio de casa às vezes pela manhã"!!! E o casaco vejo-o como a personificação do pensamento "por cá, há sempre espaço para mais um", somos um país acolhedor certo?

Só mais uma coisa, não dá para irem os dois irmãos cantar?

É que (só) por acaso gostei bem mais de os ouvir aos dois no final a interpreta-la.

Dez anos!!

Consigo lembrar-me como se fosse hoje a primeira vez que pisei aquela empresa. Consigo lembrar-me de cada rosto que vi, só homens, que ainda hoje são colegas de trabalho, outros que já não. Consigo lembrar-me de logo no primeiro dia ter a noção de como aquilo seria passageiro, não passaria de um novo emprego que tinha aparecido por acaso mas que não era lugar para ficar.

Lembro-me tanto das primeiras peripécias. Lembro-me de cá chegar e chorar a dizer que não aguentava uma semana (um abre olhos para aqueles que começam num trabalho novo e é difícil, as vezes as coisas depois descomplicam um pouco). Lembro-me de poucos dias depois de cá ter começado a trabalhar o encarregado me dizer "em três tempos se não fores embora, ou tens uma panca como nós ou vais ficar com uma", hoje acredito que já tinha mas cada vez a panca dá sinais de piorar. Efeitos colaterais. Nada a fazer. Lembro-me de não ter achado nada piada a só haver homens na empresa, não tinha ninguém com quem dar dois dedos de conversa feminina. Com o tempo percebi que foi a melhor coisa que me podia ter acontecido, uma pena não haver um achado no meio deles que me despertasse a alma, mas não. Ligações unicamente profissionais e aliás são do mais educados e respeitosos possíveis. Acho que só uma vez alguém me "picou" pelo facto de estarmos em “patamares diferentes” e eu ser mulher. Foi uma situação pontual e nunca mais senti o que quer que fosse em relação a isso. Lembro-me de quando entrei para aqui um funcionário não me largar o pé. No início deixei andar porque pensei “é novidade isto passa-lhe”. Acabou por não lhe passar e ele levou uma repreensão não só do boss como de todos. Acabou por sair da empresa mais tarde. Não directamente por esta situação até porque nunca foi uma situação de extremos mas cheguei a rir-me com as fotografias que me enviava de gatinhos e flores para o telemóvel do trabalho. Tenho mil e duas peripécias sempre para contar desta empresa que já me trouxe tanta coisa boa e algumas menos boas. Quem me segue há mais tempo  conhece bem algumas peripécias que vos conto porque na sua maioria são mesmo de arrancar sorrisos. São dez anos e isto realmente é de loucos. Já chorei, mas já dei tanta risada boa, tanto com os funcionários, como com o boss, com os clientes (esta foi óptima), com os fornecedores ou mesmo com outros indivíduos (que não se esquecem) que me aparecem à frente. Estou mais que atrofiada é certo. Fazer o quê?!

Continuo a agradecer por nos dias que correm, nesta crise que parece que ganhou raízes, ter trabalho. Continuo a agradecer as oportunidades que me vão sendo dadas. Continuo a resmungar todos os dias para sair da cama pela manhã, queixo-me pela cabeça massacrada com que chego muitas vezes ao fim do dia, bato o pé pelas vezes que ganho um cabelo branco por aturar gente que me tira do sério, dias há em que me revolto por ter tanta coisa nos meus ombros que às vezes me tira o sono, mas caramba, se ficasse em casa, se não tivesse trabalho, se fizesse parte da enorme lista de desempregados do país, aí sim o atrofio seria muito maior.

Como eu agradeço por ter trabalho. Dia após dia. Mas a aguentar dez anos, acho que no mínimo já tenho direito a um busto em minha homenagem à entrada das nossas instalações. Dez anos. Já faço parte da mobília. Já é uma rotina enraizada. Já somos família. Já me tratam como tal. Do muito que vem um dia ou outro que me apetece queixar... e ao ver tanta coisa ao meu redor não tenho de quê... as coisas vão-se ajeitando. Há muita coisa a acertar o compasso, no entanto é ouro. 

São dez anos de trabalho na mesma empresa. Nos dias de hoje é mesmo ouro. Como isto me sabe bem, como isto passa tão rápido, como isto é tão importante! Como me lembro tantas e tantas vezes disto quando pela manhã a caminho do trabalho vou a querer resmungar por ter precisado de uma grua para me tirar da cama. E ainda bem. Continuo a chegar lá e a ter orgulho de ver que aquilo também já tem muito de mim.

Pensei não aguentar uma semana. Passaram dez anos!

Expectativas mais que superadas!

Março, ainda vou a tempo de pedir "Be awesome"?!

[Imagem retirada da internet]

Se tivesse escrito o texto logo aos primeiros minutos do dia tudo teria sido diferente. Presumo. No entanto já a noite não foi fácil. Porque andei às voltas na cama para adormecer e já nem conseguia ver bem as horas, só mesmo a contagem decrescente para acordar me fazia fechar os olhos com toda a determinação para dormir. Em vão, porque as coisas não são bem assim. A última vez que vi as horas faltavam cinco horas para o alarme tocar e me fazer sair da cama como se nem me tivesse deitado. Hoje acordei com um karma pior que segunda. Sem vontade. Desmotivada. Depois ainda levei uma "pantufada" no carro e só constatei que este dia tem tudo para correr bem sqn. Fará o mês que ainda agora começou.

Posso ir ali fazer um refresh a ver se ao dormir mais umas horas a coisa volta ao normal?

SorrisoIncógnito

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em https://sorrisoincognito.blogs.sapo.pt/.

<>

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.