Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

29
Abr15

Do verbo Amar [me]

Maria

Tenho uma amiga que em tempos, praticamente quando nos conhecemos namorava com um homem do qual tentava acabar a relação que tinha problemas. Contava imensas vezes que ele a ameaçava. Ela vivia com medo mas também dizia que não acreditava que ele lhe pudesse fazer realmente algum mal maior. A relação terminou mesmo, depois de um dia em que ele voltou a fazer-lhe ameaças, ela não aguentou mais e teve a coragem de dizer basta. Nos tempos seguintes, era dar de caras com ele em muitos sítios, sentíamos mesmo que ele a perseguia. Mas nunca chegou a aproximar-se de forma violenta mesmo com as ameaças que ia deixando. Acabou em bem. Demorou mas seguiu à sua vidinha e nunca mais se ouviu falar dele. Podia ter acabado mal, hoje em dia cada vez mais estas relações conflituosas têm o mesmo final, a morte de alguém. Cada vez mais novos. Têm coragem de tirar a vida a outra pessoa como se aquela vida lhes pertencesse. Num outro dia, numa festa de aniversário, uma amiga da minha amiga aniversariante chegou lavada em lagrimas a disfarçar ao máximo acompanhada do namorado. Tentamos perceber o que se passava, mas evitou. Durante a noite, por entre um copo e outro, uma dança ou uma ida ao wc lá deixou escapar que antes mesmo de sair de casa ele obrigou-a a mudar de roupa (estava de vestido, apareceu de calças). O casal bem mais novo que eu, aquilo revoltou-me lá dentro quase que lhe puxei as orelhas à miúda que era gira e nada burra e disse-lhe para ela sair daquilo, tão novos e no namoro assim, depois só piora. Ela apenas disse-me que não, que o amava. Era o feitio dele. Depois avisaram-me que não valia a pena, porque não era a primeira vez que acontecia e ela não ouvia ninguém. Desconfio de quem chama a isto amor, é mais medo do depois de uma relação acabar e de pensar-se que o mundo acaba no momento que uma relação termina. Pasmem-se, é apenas uma fase, não acaba.

Isto cá dentro revolta-me. Mesmo não sendo directamente comigo. A ideia de que tudo vai melhorar, de que foi só uma vez, de que não chega a vias de facto, de que o amor cura tudo, é apenas uma ideia. A realidade não é bem assim. E isto vem de namoros. Vem de pessoas cada vez mais novas. E nos dias de hoje tiram vida como quem "dá cá aquela palha". E é preciso não pensarem que acontece só aos outros. Que acontece só na casa ao lado. Na aldeia vizinha. É preciso acreditar que ninguém merece isto. Que um dia a segurança infelizmente neste país também nos vai passar a perna porque se calhar só se vão lembrar de nós quando já cá não estivermos para contar o fim da história e temos que antever a situação. Estar atentas. Não adiar. Nos dias de hoje em que tiram vida como quem "dá cá aquela palha" é preciso gostarmos um bocadinho mais de nós e da nossa vida.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Sobre mim

foto do autor

Espreitem Como eu Blog

Expressões à moda das “tripas” do Porto!

Sigam-me

<>

<>

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twita-me

<>

<>

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub