Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

Desafio #quenuncanosfaltemsorrisos #1

Dia 1. *Verão*

 

#quenuncanosfaltemsorrisos

 

E assim dei início, hoje, ao desafio que lancei na semana passada de um mês a fotografar #quenuncanosfaltemsorrisos.

Podem seguir o desafio no Facebook e no Instagram. Aqui no blog farei o resumo todas as semanas. E não esqueçam, ao usarem a hashtag #quenuncanosfaltemsorrisos vou poder seguir também as vossas, eu e quem participar.

Espero que quem se junte se divirta tanto ou mais que eu. E quem o quiser fazer, está sempre a tempo, pode começar quando quiser. E partilhem. Saibam mais aqui.

40. Desafio.png

Bons sorrisos e boas partilhas ;)

 

PS.: Quem não fizer nas redes sociais e fizer no blog deixem o link para seguir.

Desafio #quenuncanosfaltemsorrisos

No início do ano voltei a propor-me nos objectivos do ano para o blog criar um desafio para partilhar com a blogosfera como no ano passado. Lembram-se do #desculpasparasorrir? Correu muito bem. Chegou a hora de fazer o deste ano.

Em Agosto do ano passado criei pela primeira vez um desafio de fotografia. Adorei o desafio. Primeiro pela parte desafiante de todos os dias ter um motivo para fotografar. Depois as partilhas. Adorei. Será novamente do género.

 

#quenuncanosfaltemsorrisos

 

#quenuncanosfaltemsorrisos

 

 

Quem me conhece sabe que se há coisa que me define é o sorriso. Há sempre mil e duas desculpas para sorrir. E se às vezes faltam algumas, procura-se um novo motivo. Sempre tento passar esse "lema". Pessoas que sorriem são sempre mais bonitas. Digo-o sempre.

Ora Agosto está quase aí, continua a ser para mim um mês especial que me faz sorrir imenso. É o meu mês das férias, é verão, está calor. Esplanadas. Noites à conversa. Os amigos e a família voltam à base. Mais motivos para sorrir? Sempre se encontra um que seja. Em pormenores do dia-a-dia.

Eu vou começar o desafio no primeiro dia de Agosto, com uma lista que junta o que me faz sorrir, mas para quem se quiser juntar e partilhar o desafio, não tem uma data especifica para começarem, comecem quando quiserem, juntem-se a mim e partilhem.

 

NÃO ESQUECER (para quem se quiser juntar a mim neste desafio)

  • Uma fotografia por dia;
  • Podem começar a partir de qualquer momento, para participar basta usar a hashtag #quenuncanosfaltemsorrisos numa fotografia;
  • Podem fazê-lo no Facebook, no Instagram ou mesmo pelo blog (se for no blog deixem o link). Convém que sejam perfis públicos, para poderem partilhar com quem se quer juntar e visto que o objectivo é mesmo o de partilhar com todos os participantes;
  • Utilizem apenas fotografias vossas. O desafio é mesmo esse, um motivo para vocês mesmos fotografarem.
  • O objectivo é ter um motivo para fotografar, podem usar uma fotografia antiga, mas evitem.

 

Divirtam-se neste desafio e sorriam muito. Esse é o meu objectivo com este desafio.

Sigam-me no Facebook e no Instagram para verem as minhas partilhas. Ao usarem a hashtag #quenuncanosfaltemsorrisos vou poder seguir também as vossas.

Bons sorrisos!

(quem se junta e quem partilha?!)

A minha rua é melhor que a tua #4

É sempre um orgulho falar da minha rua. Porque realmente gosto da rua que me acolhe há tantos anos. Mais, as pessoas que lá vivem. Já aqui falei imensas vezes dos meus vizinhos. E tão só por isso e muito mais, continuo a dizer que a minha rua é melhor que a vossa.

Continuo a ter o vizinho que a família não liga e que continua a ser ajudado por todos lá da rua. E é dele que hoje venho falar, mais uma vez. Ele lá continua na sua vidinha. Sozinho. Pelo que sei sem contacto com familiares e com contacto com os vizinhos. Sempre o mesmo, extremamente bem educado, sempre com um sorriso e uma mão levantada a cumprimentar. Continua a gostar de beber o seu copo e não condeno, muitas vezes acredito que será mesmo a sua única companhia. Nós vizinhos, vamos fazendo o que se pode.

Ontem, combinado anteriormente, foi a minha mãe que lhe deu o almoço. Fez-se assado e partilhou-se com ele. Nesta semana que é particularmente difícil. Soube há poucos dias que está doente...e esta semana recebeu a informação que será agora internado no IPO. Partilhou com os vizinhos que mais o ajudam a notícia e todos ficamos naturalmente "tocados" com a notícia. Principalmente nesta época de família, coisa que lhe falta. Imagino que as conversas e os desabafos que tanto se precisa o "sufoquem".

Ele agradece vezes sem conta o que se partilha com ele e acredito que no fundo seja isso que lhe consola o coração. Nunca sabemos ao olhar para uma pessoa a vida que carrega. E eu espero que lhe esteja reservado o melhor caminho. Porque merece. E que consiga encontrar sempre "vizinhos" que o ajudem.

Eu já disse que a minha rua é melhor que a tua? A minha rua é melhor que a tua. É isso.

One - as grandes marcas também falham, em grande!

Já estive para escrever sobre isto mil e quinhentas vezes, mas cada vez que o penso em fazer só me enervo mais um pouco. O post já foi aberto umas quantas e retido em rascunhos e isso só me faz ter a noção de como este assunto anda a ser arrastado há demasiado tempo. Infelizmente.

De uma coisa tenho a certeza, o cliente não tem sempre razão, se assim fosse, as marcas tinham que ser mais responsáveis quando cometem erros.

Em Dezembro do ano passado, após algum tempo em que andei apaixonada pelo relógio da ONE do 3 em 1 na caixa e até pedi ao Pai natal... resolvi oferecer como presente a mim mesma no Natal na cor gold rose. O relógio não foi nada barato, mas estava confiante que era merecido e começaria ali uma longa relação de cumplicidade, sempre juntinhos. Não poderia ter estado mais enganada.

Comprei o relógio no dia antes de Natal. E comecei a usá-lo no Natal.

relógio one

Em Janeiro faço anos e foi-me oferecido um relógio da Miss Sixty muito giro, andava com o da One nem há um mês com a pulseira mais fina e troquei para que quem mo ofereceu também visse que gostei do presente. Este relógio andou comigo cerca de um mês até que decidi usar o da One novamente. Achei qualquer coisa estranha na cor, até porque um e outro tinham o mesmo tom, mas pensei que fosse impressão minha. Passado uns dias a cor do One definitivamente não me parecia nada igual e resolvi passar na ourivesaria que o comprei. Prontamente concordaram comigo e disseram que a cor do relógio tinha modificado, a cor do mostrador e da bracelete estavam diferentes. Avisaram-me "olhe isto vai como garantia e normalmente demora cerca de um mês". Eu apenas pensei, fazer o quê, era o ter que ser. Quase dois meses depois chegou o relógio. A próxima fotografia data de 4/06/2016 provavelmente quando recebi o relógio. Relembrando que o relógio traz mais duas braceletes ao se pôr uma ao lado das outras, mais uma vez a cor não tinha nada a ver, aliás como se percebe perfeitamente na fotografia.

relogio one.jpg

 

Vai de ir tudo novamente para trás, para a garantia, "sabe como é, mais ou menos um mês". Passou um mês, passou dois e nada. Então o relógio perguntei eu. Ligaram e a resposta que tiveram foi que com as férias atrasa sempre um pouco e coisa e tal, mais uns dias. Uns dias depois, já completamente desiludida mas com muita paciência com isto voltei à carga. Então o relógio? Convém aqui dizer que passei todo o verão sem ele (que era a oportunidade de usar aquela bracelete branca que vem na caixa). Ligaram e deram-me a resposta, "olhe afinal vão dar-lhe um relógio novo, na próxima semana dizem que enviam, assim que chegar ligamos consigo". Não consigo precisar o dia em que me ligaram mas foi na semana de 5-9 de Setembro (vejam o tempo que passou!!!). Nesse mesmo dia dirigi-me à loja para ir buscar o relógio. Relógio novo. Tiraram-se as etiquetas e estava com pressa. Vim embora. Na sexta-feira dia 9 de Setembro pego nele para lhe colocar a bracelete branca, que ia a combinar com a roupa que ia usar na festa no dia 10 que tinha. Reparo, as horas não estavam certas, ao pegar no relógio para ajustar as mesmas eis que ao clicar para fora aquele botão de ajuste ele sai completamente. O "pino" (ou lá como se chama) estava solto. Não dava para ajustar nada, porque o "regulador" não estava bem, estava solto. No dia seguinte sábado, dia 10 de Setembro, às nove da manhã lá estava eu a dizer o sucedido e deixei bem claro. Nunca mais. Este serviço da One desiludiu-me por completo. "Vamos manda-lo já para a garantia e dizer para serem urgentes visto que isto já é uma situação bastante demorada".

Hoje é dia 18 de Outubro de 2016. Sabem alguma coisa do meu relógio da One, que não custou 20€, nem 50€, nem 100€, mas precisamente 169€?

Nem eu.

E a bracelete fofinha branca para usar no verão? Só se for do próximo ano. O relógio vem com garantia de dois anos e um já quase passou sem eu praticamente o usar. Ou seja, compro um relógio da nova colecção e quando o for realmente a usar já é da antiga. No mínimo deveria trazer um da nova colecção.

Fico mesmo triste. Eu amei aquele relógio à primeira vista.

Minha querida One, é de ficar satisfeita não é?

#sóquenão

Pressão psicológica.

Aquando um dia destes, o telefone da empresa tocou e fui eu a atender.

"Estou sim?"

Do outro lado uma voz seca, directa e num tom desagradável, nada simpático:

"Olhe estou a ligar porque há um menino x que foi abandonado pelos pais e tem uma doença grave e está a morrer, precisa de dinheiro para a cura, quer ajudar?"

Começo eu, de testa franzida pelo tom da senhora, como se a mesma me pudesse ver: "Olhe desculpe, sabe, eu sinceramente.." interrompendo-me diz-me "não quer ajudar? Sabe que, ele já foi abandonado pelos pais e se você também não o quer ajudar ele vai morrer!".

...

...

Fui fria, engoli em seco meia dúzia de vezes e só lhe consegui dizer que, sempre que posso ajudar alguém que precisa eu tento. Desliguei a chamada ainda a tempo de a ouvir dizer "olhe que deus esteja consigo!" com um tom não menos arrogante que toda a conversa.

Não consegui tirar aquilo da cabeça e a voz da senhora entoava-me. Fiz uma chamada solidária para a ONV só para ouvir que ajudei uma criança a sorrir, não para me justificar com o que quer que seja, já não é a primeira vez que tento contribuir na onv ou de outra maneira possível das tantas que há. Mas aquela voz não me "largou". O dia correu-me mal. Cheguei a casa ainda meia incrédula e desabei em lágrimas enquanto contava aos meus pais. Que rapidamente me fizeram "desanuviar" o problema.

A senhora não se identificou, não houve mais dados, zero de informações, foi somente aquilo. Mas aquilo foi suficiente para eu me sentir mal e ter um misto de emoções internas que só consegui extravasar quando chorei de raiva e partilhei o que me aconteceu.

Não me martirizei mais por isso, infelizmente sei que todos os dias há crianças em luta pela vida e que todos nós temos o dever de ajudar quando pudemos. Não chegamos é com as mãos a todos. É um facto. E sou uma desconfiada em pedidos de ajuda principalmente à distância, nada identificados. A vida faz-nos assim. Um miúdo na rua pede-me dinheiro para comer, ou pago-lhe a comida se quiser ali na zona, não dou dinheiro para cair nas mãos de outros.

Gosto imenso de ajudar, mas não gosto de pressões psicológicas.

Confesso, senti uma raiva que, ainda hoje, não consigo explicar.

Boa vizinhança! (A minha rua é melhor que a tua #3)

Segundo a Comercial, hoje é o dia da boa vizinhança. Mais que uma vez já aqui falei dos meus vizinhos. Da minha rua e vocês sabem, por mais desculpas que tenham, a minha rua é melhor que a vossa!

Tenho tantas histórias de partilha. Ainda hoje à hora de almoço a minha mãe deu à minha vizinha que tem filhos pequenos uma caixa de cereais que nos saiu num cabaz e como não comemos partilhamos com quem sabíamos que ia gostar. Essa mesma vizinha que no fim de semana trouxe uma saca de figos lá para casa.

Por aqui continua a ser assim. Não é troca é partilha.

Partilhamos limões, alfaces, tomates, hortaliça e salsa. Uns têm uma coisa, outros têm outra. Partilhamos os bolos de aniversário, ou mesmo aqueles caseiros que sabemos que gostam. Continuo a adorar os bolinhos de abóbora que a minha vizinha me oferece sempre no natal. Continuo a fazer mousse de chocolate de after eight para os amigos vizinhos que gostam.

As minhas escadas continuam a servir de "esplanada" para as noites de verão onde nos juntamos. A vizinha oferece uma orquídea porque tem duas iguais. O meu pai oferece o piri-piri das suas plantações. Outra vizinha oferece pêras, ou laranjas, ou figos.

Tenho outra vizinha que continua a ir lá jantar quando às vezes a minha mãe faz cabidela. Tenho outros vizinhos que estão fora e sempre que cá vêm juntamos-nos para uma refeição em conjunto. Cada um leva o que pode.

Continuo a ter o vizinho que a família não liga e que continua a ser ajudado por todos lá da rua.

Partilha-se a farinha quando a de uma acaba a horas inconvenientes, ou o leite, ou o arroz. Ou mesmo o pão que já acabou e a padaria já fechou.

Aqui divide-se tudo que se possa. Ajudamos-nos uns aos outros. Partilhamos o que temos. Partilhamos também o coração, porque criamos laços.

Os meus vizinhos são os primeiros a ajudar se virem que se está a precisar. São aqueles que o meu carro avaria a caminho do aeroporto e eles se metem no carro para me ir levar mesmo que isso fique a quase uma hora de distância. Assim como eu dou boleia sempre que alguém precisa quando vou a caminho do trabalho.

A minha rua continua a ser família. Uns mais que outros é normal, assim como é normal ter uma ovelha negra, mas continua a não fazer mossa. E continuamos a não saber tudo da vida uns dos outros. Que não sabemos. Não é preciso. Mas é bom estar lá quando alguém precisa e quando nós precisamos.

Continuo a ter vizinhos que apanham a roupa se começa a chover. Que ajudam a mudar o pneu quando furou. Que vão às compras e que perguntam se precisamos que nos tragam alguma coisa para não termos que ir lá de propósito. Continuo a ficar com a filha da vizinha se ela precisar de dar um saltinho a qualquer lado.

Tenho inclusive ex-vizinhos que nos continuam a vir mostrar a filha que agora cresce longe de nós. Tenho vizinhos que ficam com o meu cão se viajo. Que vêm perguntar se preciso de alguma coisa quando estou doente.

Ainda há dias um vizinho veio trazer um bolo, porque fez massa a mais e deu para dois.

E continuo a pensar naqueles que vivem no mesmo prédio, que nem se cumprimentam e muitas vezes nem se conhecem.

Tenho vizinhos que já me ajudaram muito nas lágrimas e nos sorrisos. Que saio de casa pela manhã e o "Bom dia" efusivo aparece.

E como já aqui disse antes, não é incómodo. Faz parte. E eu gosto disto. Disto típico de aldeia. Desta família de sangue diferente. Mesmo onde uma ovelha negra existe mas não faz mossa. Mesmo onde um deles é um ex meu mas não faz mossa. Mas gosto. Eu sei que é sorte. E agradeço muito por isso. Gosto dos meus vizinhos. A minha rua é melhor que a tua. Tenho uma boa vizinhança. É isso.

#Sapo21anos

O meu primeiro email foi Sapo (ainda uso).

A página inicial de cada navegador é sempre Sapo.

O email da empresa, usado todos os dias, é Sapo.

O meu querido blog há mais de 7 anos é Sapo.

Não me fod@m se Isto é Amor (e fidelidade vá)!

Parabéns SAPO!

 

 

São 21 anos e eu já perdi a conta aos que me fazes companhia. Admito que a primeira vez que o meu blog foi destacado no vosso site até se me faltou o ar e cada vez que me lembro babo-me. Deve ser fruto da idade e de não ter a sorte de continuar tão catita quanto tu. Os anos passam e és bem melhor que o vinho do Porto (pelo menos a ti consumo-te todos os dias e os efeitos colaterais não são negativos). Sempre pronto para melhorar, cheio de novidades e sempre prestativo para quem usufrui dos serviços Sapo com uma fantástica equipa à nossa espera (nomeadamente a do Sapo blogs que mais vezes incomodo).

Setembro é o mês de comemoração deste aniversário tão pomposo: 21 anos de Sapo. Muitos cliques de vida, muitos prémios para ti! - dizem.

Para participarem, basta ir à página do buzz registarem-se e partilharem conteúdos com a hashtag #Sapo21anos.

Desafio #desculpasparasorrir _3

desafio sorrir.jpg

O desafio #desculpasparasorrir que lancei antes de Agosto está a correr muito bem. Isto de arranjar desculpas para sorrir sempre, é algo que me motiva a cada dia. Estou a fazer no facebook e no Instagram para quem quiser acompanhar só seguir a hashtag. Para quem quiser fazer está sempre a tempo de começar.

Aqui fica a segunda semana de #desculpasparasorrir :

8.Cor

#desculpasparasorrir

9.Preto e Branco

#desculpasparasorrir

10.Passeio

11.Luzes

#desculpasparasorrir

12.Sol

13.Férias

14.Brinde

Estou a adorar o desafio e podem segui-lo, tanto no facebook como no instagram.

Desafio #desculpasparasorrir _2

desafio sorrir.jpg

 

Antes de começar Agosto lancei o desafio #desculpasparasorrir que estou a fazer no facebook e no Instagram para quem quiser acompanhar só seguir a hashtag. Para quem quiser fazer está sempre a tempo de começar.

Aqui fica a primeira semana de #desculpasparasorrir :

 

1. Verãodesculpasparasorrir.jpg2. Comida

3. Música

 4. Casa

 5. Noite

 6. Bebida

7. Convívio

Estou a adorar o desafio e podem segui-lo, tanto no facebook como no instagram.

SorrisoIncógnito

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.