Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

A inversão do papel Mãe e filha..

Esta noite dei "colinho" à minha Mãe.

Há uma altura na vida em que parece que os papéis se invertem. Não há uma idade. Não é a partir de uma meta. Não há nada traçado. Mas há uma altura em que inevitavelmente isso acontece.

Já sou eu que digo vezes sem conta, cuidado com os carros a atravessar a rua, cuidado com as escadas, tem cuidado com o sol, não apanhes frio. Queres um chá. Põe o cinto. Estás bem? Não comas isso que te faz mal.

Há um dia ou outro, que dá vontade de lhe pedir colo, como talvez pedia com cerca de dois anos, mas que agora que sei falar um pouco melhor não utilizo palavras, mas que também inevitavelmente ela percebe se realmente eu estiver a precisar de "colo".

Ontem, ela estava doente.

A minha Mãe, é a super-Mãe. Nunca está doente. Muito raramente a vi adoentada, Graças a Deus.

Ontem estava. E há uma inevitável preocupação, talvez devido a essa inversão de papéis que me fez querer ficar em casa a dar-lhe colo, a ver cada minuto para que melhorasse, a querer estar ali junto a ela para não me escapar nada. Não deu, mas tentei estar ali o mais que pude, ora a correr para casa assim que consegui, ora a ligar-lhe.

Que chata. Quando cheguei ao fim do dia pensei exactamente isso. E tive a noção do que é acharmos tantas vezes as nossas mães chatinhas por se preocuparem demasiado com tudo e mais alguma coisa, mas na verdade, nesta fase de papéis invertidos não somos diferentes. Eu pelo menos não o conseguiria ser. Até a querer que ela se deitasse à minha beira e eu ficar ali a dormir meia acordada sobressaltada a cada movimento e a gastar a expressão "estás bem?".

Hoje, com ela já bem melhor já nos rimos, por esta Maria chata que sou quando me preocupo, quando tenho medo pelos outros, ,quando vejo a dor dos meus como minha.

Essa altura na vida em que os papeis se invertem, é inevitável não tentar ser-lhe um pouco daquilo que ela sempre foi comigo. E querer ser lhe mais.

Mãe galinha. Porque mesmo sendo eu a filha, serei a mãe sempre que (precisar e) conseguir ser-lhe. E que me seja a Mãe que tem sido!

Dos 1 de Novembro. Do ser solteira. E dos desbloqueadores de conversa de gente cusca.

Desde que me lembro, os meus 1 de Novembro é dia de família. De voltar lá, a eles. Aos meus. É dia de reencontros, de sorrisos e abraços. De lembranças. De agradecer muito. De sentir. Ter saudade. De ver a família. De falar, contar novidades. Das inevitáveis e nunca surpreendentes perguntas do estar solteira, dos namorados, do casamento, dos filhos... é dia dos da cidade virem à aldeia e acharem-se os maiores junto dos parolos até lembrarem que nasceram ali. É dia de norte, de descer ao rio. De respirar aquilo tudo. E ficar com ciscos nos olhos.

Ontem não "cumpri" o dia 1 de Novembro. Não fui à família. Não fui ao cemitério, até porque o faço imensas vezes e não preciso deste dia para o fazer.

Ontem foi dia de passeio com a comadre. Fomos ao passeio e às compras.

Hoje a minha mãe liga-me e diz, sabes que ontem falaram de ti lá no cemitério.

Ai sim? Perguntaram se já me tinha casado (basicamente todos os anos o mesmo desbloqueador de conversa!)?

Não. Mas quase. Disseram que tinhas um namorado muito giro. Alto, elegante. Muito bonito. Que ficavam muito bem juntos. E ao que parece é engenheiro.

...

...

Depois de me rir, perguntei-lhe, e tu que disseste?

- Que nos devia apresentar que nem eu nem tu o devíamos conhecer. ahahah

...

(É o que faz pôr fotografias com um primo que não vive cá e vem cá passar uns dias e já pensarem que é o namorado!!! Por acaso lindo, alto, elegante. Muito bonito e por acaso médico. Falham em tudo esta gente cusca. Só a mim?! - btw o que já me ri)

Conversas... Ups! *42*

Ontem, estava à conversa com a minha mãe até que vejo a balança lá em casa e resolvo ir ter com ela.

Eu: Isto parece impossível, quando ponho o primeiro pé na balança já não apetece pôr o segundo!!

Mãe: (a rir-se) vá lá entender-se porquê!! Olha lá, faz como eu, ignora-a.

...

Dizem que as mães têm sempre razão!!

Desafio 52 semanas | Semana 50/52

Semana 50: Pessoas que admiro.

 

A minha Mãe - Que é a melhor pessoa que conheço. Que consegue ter o melhor sorriso do mundo, mesmo que o mundo esteja a desabar (tenho certeza que foi dela que herdei isso). Que pensa sempre primeiro nos outros e depois nela e que mesmo que se lhe tente ser diferente ela não consegue. Que suportou um leque de dificuldades e efeitos colaterais que à partida muitos desistiriam e ela resiste. Porque é mesmo boa pessoa. Porque é a primeira a ajudar. A se mostrar disponível. Porque gosta da casa cheia com todo o trabalho que isso lhe dá. Porque faz uma ginástica descomunal no seu dia a dia, com o trabalho de casa, de outras casas e de quem ainda atura. Porque tenta ver sempre o lado positivo. Porque ouve as lamurias dos outros e raramente se queixa. Porque é o maior suporte. Porque ama acima de tudo. Porque os valores valem tudo e isso ensina. Porque antes mesmo de eu dizer "ai" ela já está a curar as feridas (o mesmo com os mais próximos). Porque vai ser sempre a pessoa que mais admiro na vida. Porque não lhe chego aos calcanhares. E por mais mil e duas coisas que não se explicam. Sentem-se.

#52semanas

À melhor do Mundo!

Tenho que agradecer a cada dia que passa o facto de o poder partilhar contigo. A sorte que tenho de te ter a meu lado. Todos os dias. Na vida. Agradeço seres a pessoa que és. Maravilhosa. Linda. Amiga. Coração grande. Sorriso gigante. E sorrio por te ser parecida. Tenho o melhor dos exemplos. Obrigada por tudo. Que Deus nos permita mais dias como este. Juntas. Hoje, 19, a maior fez anos. E eu desejo-te o melhor do mundo. Parabéns minha Mãe ❤

Mãe ♥

Primeiro eu, sempre eu depois tu. Primeiro eu e o mano e só depois tu. Sempre foi assim. Sempre é assim. Primeiro o meu sorriso depois o teu. Primeiro os teus filhos depois tu. O primeiro prato é para os filhos, a primeira cadeira na esplanada. A primeira água na sede de ambos. A melhor carne passada, o ovo com melhor gema, o salmão melhor grelhado. A melhor parte na sopa. As costelas do anho. As coxas do frango. A primeira colher do arroz de cabidela para sair aguado ainda que tu fiques com o mais seco. Sempre nós, depois tu. Sempre foi assim, cresci assim e ainda hoje é igual. Nada a fazer. Está em ti. Esse amor maior por nós. Teus filhos. E eu quero poder sempre retribuir-te aquilo que me és. Mesmo nas nossas birras, no meu não querer dar o braço a torcer no teres sempre razão. Quero poder ser o teu melhor. Tu és o meu melhor na vida. O meu tudo. O meu sentido. O que me fez ser hoje quem sou. O melhor exemplo que podia ter. Oh Mãe, como tu és grande. Nunca te dás o valor devido nem imaginas o valor que tens. Mas tu és tanto e eu faço questão de te provar isso sempre que possa. Isto não fazia sentido se assim não fosse. Obrigada por estares sempre ali a meu lado, nas alegrias, nas tristezas, quando caio e principalmente quando os joelhos doem da queda e tu me dás a mão e dizes, "és mais que isso". Juntas somos tanto, porque tenho a sorte de te ter na vida. Obrigada. Obrigada por tudo.

Um feliz dia MÃE!!

Um beijinho a todas as mães. Um especial à minha Mãe ♥

Os corredores dos hospitais são-me frios #2

Para quem me segue no facebook apercebeu-se que ontem a minha noite foi passada nas urgências de um hospital. E aquelas salas de espera são antipáticas, digamos. Passar o tempo ali é necessário e pensar na morte da bezerra não ajuda em nada. Nem o barulho da porta automática sempre a abrir. Nem ajuda as gargalhadas dos colaborados que estão dentro dos guichés. Nem mesmo o Candy Crush para passar tempo. Há que tentar brincar com a situação e encontrar piada em alguma coisa. Houve algumas, a melhor o bombeiro que me fez virar a cabeça só pelo tom de voz… depois ouvir a chamarem os doentes para a sala de triagem e aperceberes-te que a conjugação do teu nome não é assim tão má como outras por aí. Ou até a de no guiché alguém dá o contacto em tom tão alto que apeteceu-me mandar-lhe um sms a dizer "fale mais baixo"!!

Mas depois há uma sala muito mais medonha. Onde me puseram uma pulseira para acompanhante e me mandaram para lá. Aquela sala de espera pós medicação para observação. Ali as pessoas não sorriem, têm no rosto a ansiedade e o medo. A dor, a tristeza. Só vi sorrisos quando os senhores vieram oferecer um café ou um chá. E vê-se casos que te deixam pequenina e a não querer saber porque há tanta coisa má a poder acontecer a nós que vivemos e devíamos ter o direito de viver com saúde. Pelo menos. O resto, o resto vem.

Falarem-me de nomes que não percebo é meio caminho andado para procurar na internet o que não se deve. Visto que se encontra tudo o que não se quer. Btw também sentem que os médicos têm um língua português-chinês que ninguém percebe?

Cheguei a casa já perto da meia-noite e comi alguma coisa para enganar o estômago visto que não jantei. Aterrei de seguida tal o cansaço que trouxe da espera. Acordei cansada ainda. A ansiedade cansa. A espera mói.

És um ser especial ♥

Hoje é o teu dia. Tenho-te um orgulho maior. Não por seres quem és na minha vida. Mas por seres quem és na tua. Por consequência na minha. E agradeço tanto. Por quem és. Pelo que és. Pelo que não tens e tens. Por seres a melhor pessoa do mundo. por estares aqui. Na vida. Na minha. Pela boa pessoa que és, sem igual.

Sempre olhas para mim como sendo eu a tua menina pequenina. Mas agora sou eu que gosto de te dar a mão e ter-te no meu abraço.

Parabéns Mãe! Que sejas feliz. Muitos e muitos anos. E juntas.

Amo-te muito

A Quinta

A minha mãe estava para ali a deitar pro ar que a Cinha Jardim está feia. Feiinha de todo - diz ela. Esquisita. Mexeu aqui esticou acolá, como pode? Olhando assim para ela tem a cara desfigurada - continua a disparar. Vou espreitar, ali meia de esguelha e confirmo, a Cinha está com uma cara de meter dó. Dó e medo. Do tanto que querem fazer, do pouco que adianta e só piora. Jaaasus. A minha mãe é tão bonita sem ter andado com a cara em obras.

Mãe ♥

É cliché dizermos que a nossa mãe é a melhor do mundo. Na verdade não conhecemos outras mães para comparações, na verdade o amor pela nossa faz-nos dizer isso. Mas sendo cliché ou não, digo-o. Porque a minha mãe é a melhor mãe do meu mundo. Isso é o que me interessa e sendo ela das melhores pessoas que conheci na vida, dificilmente acredito que haja mãe no mundo melhor que a minha. Ainda hoje no alto dos meus 31 ela é a mãe de sempre. Sempre presente, sempre atenta, sempre a querer o meu melhor. Sempre eu primeiro depois ela. Sempre a querer-me bem e a pôr-me acima de tudo. Sempre a olhar para mim como se eu fosse a menina pequena dela. Mesmo que seja hoje eu que lhe dou a mão e a levo comigo. E ela adora dar-me o braço e sentir-se segura. Temos uma relação fantástica e sei que tenho ali alguém que estará sempre do meu lado, porque por mais que o tempo passe, que cada uma cresça e amadureça, que os papeis se invertam e não seja só eu a precisar dela, seremos sempre a mãe e a filha. E o nosso amor é único.

Um beijinho a todas as mães. Um especial à minha Mãe ♥

SorrisoIncógnito

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.