Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

"Inimputáveis", outro murro no estômago...

Interesso-me por tudo o que seja do foro psicológico. Gosto de ver reportagens, entrevistas, ouvir psicólogos, psiquiatras. É um tema tão abstracto, tão meticulosamente complicado que me cutica a curiosidade de tentar perceber o que à primeira não dá para perceber.

"Inimputáveis", uma reportagem da Ana Leal da Tvi, num dos lugares mais inacessíveis a nós comuns cidadãos, a clínica psiquiátrica do estabelecimento prisional de Santa Cruz do Bispo. Onde esteve cerca de um mês para fazer esta reportagem. Ali estão indivíduos inimputáveis considerados perigosos.

Vamos lá ser sinceros, normalmente olhamos para estes casos e não conseguimos ver a doença para além do crime. Lê-se muito por aí "dá-se como tolinho e depois não tem pena" (mas se calhar não é bem assim). Sim numa primeiro impressão, muitos são os que pensam assim. A sociedade ainda é muito fechada quanto a doenças do foro mental e psicológico e como que de um assunto tabu, não se fala muito. É quase preferível não querer perceber estas pessoas que tentar entender o que está por detrás daquela atitude que tinha tudo para ser um crime praticado por um criminoso, mas no final foi praticado por um doente. Doente, isso mesmo, um individuo que praticou realmente um crime, mas que foi fruto da doença que padece, numa fase de descompensação da doença.

Na verdade, são pessoas com histórias de vida peculiares que no entanto são apenas e só julgadas por nós comuns cidadãos, ditos "normais" que não sabemos lidar com estas situações, não estamos preparados para os receber, para olhar para eles acima de os referenciar como "perigosos", as pessoas não os querem de volta à sociedade, as famílias esqueceram-nos. Ninguém faz questão de os ter na vida. As pessoas têm medo.

Infelizmente com esta reportagem podemos ter a consciência que, para dificultar todo este processo de reintegrar, reabilitar um doente inimputável, está não só uma sociedade que não os aceita, como uma falta de meios para os "proteger" cá fora no depois. E há depois? Se calhar, se houvesse mais ajudas, mais acompanhamento no após sair, mais ligação entre o tribunal - porque nestes casos, são inimputáveis a padecer de uma medida de segurança* em regime de internamento prisional - a saúde e em muitos casos a segurança social. Talvez pela falha destes três organismos não se interligarem para soluções, os casos de sucesso sejam menos que os que possivelmente poderiam ser.

Ouvir coisas como "tenho medo de mim mesmo" é aquele murro no estômago de alguém ter a consciência dentro da sua própria insanidade do que padecem. Sabem que medicados estão bem, mas é apenas e só a medicação que controla o individuo porque continuam a ser pessoas que, caso não tomem a medicação podem reincidir e voltarem a cometer os erros que cometeram antes, matar, violar...

Alguns estão lá há mais de vinte anos e têm a consciência que podem não voltar a sair de lá, mas têm também a consciência que cá fora não têm nada à espera. Outros continuam a viver na esperança de não serem esquecidos por aqueles que na verdade já nem se interessam se existem.

Há uma quinta-feira por mês que uma voluntária, vai buscar aqueles que principalmente não têm visitas, não têm ninguém cá fora e vai dar uma volta com eles, têm dez horas "livres". É completamente frustrante ver o brilho no olho de quem vê e sente o ar cá fora. E falam sobre isso, ainda que retraídos, com muitos "ses" por detrás das suas conversas e com muitas emoções lá dentro.

"As lágrimas que não se choram enferrujam o coração" - disse a voluntária a um dos que levou. Fazendo deles pessoas de sentimentos e emoções retraídas em corpos presos a doenças mentais, atrasos mentais, bipolares, esquizofrenias...

Não deixem de ver a reportagem que está dividida em duas partes. A primeira parte deu no domingo à noite, a segunda na segunda-feira à noite e seguiu-se ontem na Tvi24 uma análise a toda esta reportagem, entre a jornalista Ana Leal, a psiquiatra forense Sofia Brissos a qual não deixa de fazer denotar a sua esperança sempre em que estas pessoas sejam aceites na sociedade e possam voltar a ela, que não tenham a ideia pré-concebida de que ao irem ali parar não saiam mais dali. E a Directora Adjunta da prisão, Dra Otília Barbosa, a qual adorei ouvir, que cuidadosamente explicou dúvidas e que com certeza teria muito a contar desta tão extensa experiência com casos tão delicados, tão tabus da sociedade e tão "inaceitáveis" da mesma.

Tirem as vossas próprias conclusões. O que me surpreende é a capacidade que têm de dentro da sua própria loucura reconhecerem-na.

para quem não viu, obrigatório ver:

1ª parte aqui

2ª parte aqui

Quem viu, qual a ideia com que ficaram? olham para estas pessoas cm um olhar diferente do que olhavam antes da entrevista, ou apenas querem olhar mas na prática continuam a achar que estas pessoas devem mesmo é manterem-se afastadas da sociedade (porque acho que esta é a ideia comum dos casos) para não serem um perigo para os outros e para elas próprias?

A meu ver, o olhar sobre estes casos, depois de ver a entrevista é diferente.

Vejam a história do Vicente (o "homem invisível"), há mais de trinta anos internado e quando saiu quis voltar para a clínica porque ele próprio teve a noção que não sobrevivia cá fora e nem tinha lugar na sociedade...

Outra observação importante: nós não temos nenhum criminoso a cumprir sequer 25 anos de prisão que é a pena máxima em Portugal, mas temos ali pessoas que já ultrapassaram esse tempo cumprindo medida de segurança que são prorrogadas a cada avaliação do doente.

 

* "é a medida que o tribunal aplica, a estas pessoas que absolveu porque considerou inimputáveis e portanto sujeitou a uma medida de segurança e tratamento por considerar que existia o perigo de voltarem a praticar factos identicos aos que estiveram em causa naquele julgamento" - Dra Otília Barbosa

 

Desafio #desculpasparasorrir #1

Dia 1. *Verão*

desculpasparasorrir.jpg

E assim dei início, hoje, ao desafio que lancei na semana passada de um mês a fotografar #desculpasparasorrir.

Podem seguir o desafio no Facebook e no Instagram. Aqui no blog se calhar só farei o resumo todas as semanas. E não esqueçam, ao usarem a hashtag #desculpasparasorrir vou poder seguir também as vossas.

Espero que quem se junte se divirta tanto ou mais que eu. E quem o quiser fazer, está sempre a tempo, pode começar quando quiser. Saibam mais aqui.

desafio sorrir.jpg

 

Bons sorrisos e boas partilhas ;)

Desafio #desculpasparasorrir

No início do ano pus nos objectivos do ano para o blog criar um desafio para partilhar com a blogosfera. Chegou a hora de o fazer.

Em Dezembro do ano passado entrei pela primeira vez, e porque tinha acabado de aderir ao instagram, num desafio de fotografia. O #desculpasdenatal lançado pela Raquel Caldevilla (da qual dei conhecimento deste). Adorei o desafio. Primeiro pela parte desafiante de todos os dias ter um motivo para fotografar. Depois as partilhas. Adorei. Será do género.

 

#desculpasparasorrir

 

desafio sorrir.jpg

 

Quem me conhece sabe que se há coisa que me define é o sorriso. Há sempre mil e duas desculpas para sorrir. E se às vezes faltam algumas, procura-se um novo motivo. Sempre tento passar esse "lema". Pessoas que sorriem são sempre mais bonitas.

Ora Agosto está quase aí, é para mim um mês especial que me faz sorrir imenso. É o meu mês das férias, é verão, está calor. Os amigos e a família voltam à base. Mais motivos para sorrir? Sempre se encontra um que seja.

Eu vou começar o desafio no primeiro dia de Agosto, com uma lista que junta o que me faz sorrir, mas para quem se quiser juntar e partilhar o desafio, não tem uma data especifica para começarem, comecem quando quiserem, juntem-se a mim e partilhem.

 

NÃO ESQUECER (para quem se quiser juntar a mim neste desafio)

  • Podem começar a partir de qualquer momento, para participar basta usar a hashtag #desculpasparasorrir numa fotografia;
  • Podem fazê-lo no Facebook, no Instagram ou mesmo pelo blog (se for no blog deixem o link). Convém que sejam perfis públicos, para poderem partilhar com quem se quer juntar e visto que o objectivo é mesmo o de partilhar com todos os participantes;
  • Utilizem apenas fotografias vossas. O desafio é mesmo esse, um motivo para vocês mesmos fotografarem.
  • O objectivo é ter um motivo para fotografar, podem usar uma fotografia antiga, mas evitem.

 

Divirtam-se neste desafio e sorriam muito. Esse é o meu objectivo com este desafio.

Sigam-me no Facebook e no Instagram para verem as minhas partilhas. Ao usarem a hashtag #desculpasparasorrir vou poder seguir também as vossas.

Bons sorrisos!

(quem se junta?!)

Mais que gostar de dizer-se que se é solidário, é sê-lo!

Esta é a frase que digo vezes sem conta. Não basta dizer que se é, tem que se fazer por ser. E ser dador é tão fácil e tão importante. Um gesto que salva vidas. E só depois de doarem do vosso sangue percebem que há coisas que quando damos recebemos em dobro.

Hoje é também o meu dia. Com muito orgulho. E de todos que têm orgulho em ser dadores.

Sejam, também vocês, dadores.

Miss Pavlova!

pavlova3.jpg

Há uns dias adicionei a Miss Pavlova no instagram. Não sei onde estava com a cabeça que passo a vida a babar-me. Vejam só isto. Depois disto todos os dias vou lá regalar só as vistinhas. Aquilo ficou-me na agenda para uma próxima visita ao Porto não escapar. Um destes sábados passados que fui ao Porto disse para mim "tenho que ter um tempinho hoje, não vou poder perder uma fatia de um Deus do céu destes". Bem, como desconhecia este mundo?

Lá fui eu, Rua do Almada. Loja Almada13.

pavlola1.jpg

E lá estavam à entrada as famosas fotografias de babar e entrar a chorar por uma fatia mais. Entrei e temos a loja Almada13. Uma loja onde podemos encontrar mil e uma coisas diferentes, originais num só espaço, vai desde roupa, a malas, objectos de decoração, quadros, bijuteria, peças de louça... tanta coisa variada mesmo, para todos os estilos e carteiras, parecendo um mini-armazém. Staff simpático.

No mesmo espaço, ao fundo, fica a maravilhosa Miss Pavlova. Com as suas paredes de pedra rústica à vista, um cantinho acolhedor e maravilhoso com uma vitrine decorada de, claro está, Pavlovas. E temos a D. Ana e a sua mãe de sorriso maravilhoso no rosto a receber carinhosamente cada pessoa.

Uma pessoa sente-se logo à vontade.

Uma pessoa perde-se na vitrine das Pavlovas, fica meia indecisa entre qual experimentar e experimentar todas.

"Já experimentou alguma?" Perguntou-me a mãe da D. Ana. Ao qual neguei porque não tinha realmente experimentado nenhuma, mas tinha ficado de olho na floresta negra e a ter que escolher uma, era essa.

"Boa escolha." Disse-me e foi mesmo.

pavlova4.jpg

Uma fatia de Pavlova Floresta negra para mim e uma torrada de pão rústico (Bragança) que também estava óptima para quem me acompanhava.

Que dizer? Uma mistura explosiva de sabores em bom. Bem crocantes por fora e cremosas por dentro. Floresta negra é uma Pavlova de chocolate, com brownie de chocolate, chocolate temperado, natas e frutos silvestres. Uma maravilha!

pavlova2.jpg

O espaço é sossegado e acolhedor, mesmo com o entra e sai de maioritariamente turistas no almada13. E vale a pena só pela expressão das pessoas ao se aproximarem da vitrine colorida de Pavlovas.

No final a D. Ana perguntou-me a opinião. Não sabia eu ainda que ela era a tão famosa D.Ana Maio que já tinha ouvido falar por essa internet fora. Disse eu, antes de mais muitos parabéns, estava deliciosa, é a D. Ana?

Com um sorriso no rosto prontamente disse-me "Sou sim a Ana, sem o Dona por favor".

Não é preciso dizer muito mais, certo?

Mais que aprovado, mais que aconselhado e numa outra oportunidade voltarei para provar outras Pavlovas.

Visitem e deliciem-se. Vale mesmo muito a pena.

pavlova5.jpg

Podem "deliciar" as vistinhas no facebook também.

Compras online!

Se há coisa que procuro muito na internet é calçado e malas. Fazer o quê para estes gostos. Como já aqui referi mais que uma vez, a compra de 2015 mais acertada foram as sapatilhas (ninguém diria) e agora também incluo isso nas minhas pesquisas.

Encontrei recentemente a EscapeShoes, uma plataforma online onde vende calçado (e não só) de marcas bem conhecidas. E é Português!! Óptimo. Facilmente nos apercebemos até pelo comentários que são muito rápidos e eficazes no seu trabalho a satisfazer os clientes e na verdade cada vez mais o que procuramos é uma certa rapidez e satisfação nas compras que fazemos, muito mais quando online. Podemos receber os produtos em um dia útil e para qualquer dúvida até chat online temos. Os portes para compras acima de 50€ são gratuitos.

Na imensa variedade de calçado já me "babei" por alguns modelos entre eles as sapatilhas da Nike Air Max, as sapatilhas Sixtyseven, uns botins que para esta altura são a melhor opção, as Alpargatas Paez às riscas azuis, que além de giríssimas para a primavera que quando tal se aproxima são super práticas. E as Cubanas? Bem é melhor ficarmos por aqui e vão lá espreitar. Não se vão conseguir decidir só por um par. E eu que andava à procura de umas sapatilhas/botas para trail até quase me passavam ao lado - mas também lá encontro da Timberland lindas lindas. Homens abram o olho que por exemplo da Timberland tem calçado muito bom, já tem colecção nova mas ainda encontram boas promoções!

escapeshoes.jpg

e3.jpg

Só o facto de ser Português para mim ganha pontos.

Já conheciam? Gostam das minhas escolhas?

Podem ver mais aqui.

Bora ser Sorridário?

Há muitos ingredientes que movem a minha vida, partilhar o pouco que tenho, sorrisos, crianças e amor fazem sem dúvida parte. Esta é uma campanha que logo de início me chamou a atenção e me levou a meter o nariz.

Operação Nariz Vermelho é uma IPSS que desde 2002 promove, todas as semanas, visitas dos Doutores Palhaços às enfermarias pediátricas de vários hospitais do país. É da responsabilidade deles treinar e manter a alta qualidade dos artistas. O trabalho dos artistas é remunerado e a ONV oferece aos hospitais esse serviço. Visitam aproximadamente 40.000 crianças por ano.

Já há muito tempo que sigo a Operação Nariz Vermelho. E adoro a magia que os Doutores Palhaços conseguem levar às crianças que se encontram hospitalizadas. Não há nada mais feliz, que ver uma criança que sofre sorrir. E para os doutores palhaços conseguirem esse feito são precisas ajudas. E todas elas são bem-vindas, com certeza. Até o voluntariado em campanhas que se vão organizando.

Ora entre hoje, 1 de Outubro e dia 4 concretiza-se a segunda edição da campanha de angariação de fundos "Seja Sorridário". Quando vires um voluntário da Operação Nariz Vermelho na rua é a tua oportunidade. Vais estar a contribuir para que os Doutores Palhaços possam continuar a receitar sorrisos às crianças hospitalizadas.

Cada nariz que se meta por esta causa é mais um sorriso que se leva à “Joana”, à “Maria”, ao “Pedro”, ao Martim”…

e.jpg

Eu fui chamada a meter o nariz por esta causa e apoio-a, e vocês? Metam o nariz por esta causa, porque o vosso nariz também é chamado!

Sejam sorridários, façam uma criança feliz!

Podem visitar e ajudar também através da Lojinha da ONV.

 

Dicas de Poupança

Dicas de Poupança

Já aqui falei de dicas de poupança. E aliás fiz a minha própria dica e partilhei. Uma que acho não ser das mais complicadas e que no final do ano é bem agradável. Estou no segundo ano a tentar segui-la porque fiquei motivada com o primeiro ano que segui. Neste momento, faço o balanço do meio do ano, mais ou menos, pois já passamos a semana 26 e como já vamos na semana 28, neste momento na poupança conta a módica quantia de 156,00€. Nada mau.

Alguém mais seguiu? Têm alguma dica a partilhar?

SorrisoIncógnito

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.