Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

Do transbordar amor no coração ♥

Quem me conhece sabe [-me] o amor pelas crianças. Sempre disse, talvez muito para mim que gostava de ter um/a afilhado/a. 

Este foi um fim de semana de coração cheio. Preenchida. Grata. Orgulhosa. Babada.

Imensamente feliz!

No domingo 10/09 foi o dia de baptizar uma afilhada depois de no sábado 9/09 nascer[-me] outra!

 

IMG_20170912_062653.jpg

 

Agradeço aos pais, meus amigos, por me terem escolhido para ser quem sou na vossa vida, na vida deles, e vocês na minha.

Há sim, AMIZADES que valem muito.

Não sei se é sorte, mas tenho grandes amizades que compensam todas as outras que não passaram de rascunhos mal interpretados.

Tenho orgulho de ter comigo bons amigos, destes que me escolhem para ser tão importante para a vida dos filhos.

Destes que me deixam cheia de ciscos nos olhos e de muito amor no coração.

Destes que me querem na vida deles como eu os quero na minha.

Destes que me fazem ficar orgulhosa da pessoa que me tornei e tenho sido.

Amo-vos muito, afilhadas do coração  ♥

A loucura dos dias

Agosto foi uma loucura.

Parece que ainda nem caí na realidade de estarmos em Setembro.

Absorvi Agosto como há muito não fazia. Aproveitei-o ao máximo. Quis fazer tudo e mais alguma coisa. Não o deixei escapar por entre os dedos. Desleixei-me de outras tantas coisas mas foi necessário. Tenho imenso para contar. As férias foram muito boas. Voltei bastante cansada, porque acho que foi dos anos que entrei mais cansada em férias. O trabalho em Agosto foi imenso, programar trabalho para o meu tempo de férias foi exaustivo e sair daqui com o dever cumprido era a regra, que segui com orgulho. Descansei muito também, troquei o sono. Troquei-me toda.

Entrei de férias com a cabeça pronta para desligar. E na primeira semana desliguei de tudo. Inclusive do trabalho, na segunda já não foi tanto assim, mas deu para não me aborrecer com isso. Este ano a família voltou no tempo certo e deu para aproveitar muito com eles, algo que já nem me lembrava que acontecesse. Aproveitei o mais que pude. Na verdade cada vez mais os nossos são eles mesmos os nossos e tudo o resto é tudo o resto. E eu sou muito família e o facto de ter família espalhada por esse mundo fora acumula-se muitas saudades.

Os tempos só agora vão acalmar, porque infelizmente foram todos embora. No entanto tenho o baptizado da minha afilhada nos últimos pormenores e outra afilhada quase quase a nascer. Estou tão empolgada. Continua-se bastante ocupada com muita vida deste lado. Quero partilhar fotografias das férias que me ficaram. Histórias que me trazem gargalhadas. E que vou lembrar muito. Quero falar dos amigos que agradeço em ter. Dos meus primos que vivem distantes e que me fazem falta. Das experiências novas - tipo o golfe. O desafio #quenuncanosfaltemsorrisos que passou a correr e que ainda me dá vontade de sorrir a pensar já no próximo.  Do trabalho que está a absorver-me os dias e por consequência as noites. Do quanto passei a rebolar com todos os quilos que vão aumentando na balança. De como anda o coração. Mas isso quando tiver um pouco de tempo.

8 anos!

Esperem lá... inspira/expira... 8 anos! Como assim 8. 8? Já? Sim, 8 anos de Blog!

(toda eu ciscos nos olhos)

 

3151 posts

9609 comentários

252455 visitas

651 reacções

2207 likes no Facebook

282 Seguidores no Instagram

260 posição no Blogs Portugal

8 anos de existência 

8 anos.jpg

 

De mim, de vocês, de muitas partilhas, de muitos sorrisos incógnitos, de NÓS!

 

A sério 8? É o que mais me tem ocorrido nestes últimos dias. Continuo a sentir-me surpreendida pelo blog continuar a fazer parte da minha vida a cada ano que passa. E sempre muito presente. Há oito anos atrás não imaginei isso nem que lhe sentisse a falta. Deste constante desafio. Deste apego. Desta partilha. De tantos que vieram, dos que ficam. Dos que passam. Lembro-me dos que me fizeram criar este espaço, que muitos já não existem mas que me deixaram uma marca. E saudades. De uma altura em que os blogs eram muito mais "nós". Mais genuínos. Mais verdadeiros. Menos interesseiros. Menos marcas. Mais sem filtros. Menos "fama".

oito anos atrás criei o blog para partilhar sorrisos de tudo e de nada, para falar do que me apetece, quando me apetece. O propósito continua o mesmo. Deixa-me partilhar a minha inspiração na escrita. E como eu gosto disso. E continuo a ter partilhas boas disto. Continuo a conhecer outras tantas partilhas que gosto. Continua a trazer-me gente de sorrisos que me ajuda. Energia positiva. Sempre. Já espalhei muitos sorrisos, já recebi muitos sorrisos. Já partilhei lágrimas, e recebi ainda mais sorrisos. Já escrevi coisas tão minhas que me vão na alma. Já foi completamente anónimo. Já serviu tanta vez de diário, de um ombro para desabafar. Trouxe-me pessoas novas. Trouxe-me histórias partilhadas. Trouxe-me Pais Natal secretos e PPC’s. Trouxe-me miminhos de blogs com gente dentro. Trouxe-me partilhas que não mais vou esquecer... Continua a ser uma aventura. Todos os dias.

Enquanto continuar a fazer sentido, cá estamos. E eu gosto de cá estar. Acreditem. E agradeço a quem está também. Muito!

(8 anos carago!)

E ao pessoal do Facebook!

Obrigada! 

Cá beijinho  e sorrisos mil!

Janeiro o meu mês!

[ Foste-me imensamente bom.mês meu.meu mês.carregado de boas energias.de desafios de ano novo.de amizades e sorrisos.foste-me aquilo que sempre espero de ti.porque te gosto.és o meu mês.carregaste-me de sentimentos bons.trouxeste-me aqueles que gosto.que gostam de mim.e eu sou feliz.e agradeço por isso.agradeço a quem ao meu lado está.vieram-me estes 33.agarro-os com força, esperança.quero muito que o amanhã dê certo.quero muito mais viver o hoje.quero muito querer-me.deste-me as forças que precisei.um mês de não dar um passo atrás.de decisões. de segurar lágrimas.de não desistir.de não deixar de acreditar.Janeiro meu mês.mês meu.como te gosto.este começo. este novo livro cheio de páginas por rabiscar. mês meu como te gosto. ]

[ Janeiro é o meu mês.e foste-me imensamente bom ♥ ]

Das histórias da vida...

Hoje acordei com uma mensagem do facebook a lembrar as minhas memórias:

"Faz sete anos de amizade no facebook com o "João""

"O João foi, durante anos largos, o meu melhor amigo. Conheci-o com quatro anos e passámos juntos todas as fases parvas:
- a de eu o odiar simplesmente porque era rapaz e parvo;
- a de ele não me suportar porque eu era uma pitinha estúpida;
- a de eu o amar platonicamente porque era um caloiro de Filosofia com quem os temas de conversa não se esgotavam;
- a de ele me achar piada porque tinha uma lata descomunal;
- a das conversas telefónicas prolongadas, dos toques para o bip, das primeiras sms;
- a de eu acreditar que nunca teria hipóteses com ele porque me via como uma irmã mais nova;
- a de ele acreditar que nunca poderia ter nenhuma relação comigo porque era demasiado fútil e só andava combetinhos e surfistas da banheira;
- a das cartas escritas à mão e postais de design enviados em tempos de férias;
- a de ambos nos conformarmos e de partirmos para outras;
- a de ele arranjar namoradas atrás de namoradas e de eu delirar cada vez que não resultava;
- a de eu arranjar namorado e lhe contar em primeira mão que tinha perdido a virgindade;
- a de ele acreditar que o meu namoro não ia durar por aí além;
- a de eu perceber que o namorado tinha vindo para ficar e o que sobrava da história com o João era uma belíssima amizade;
- a do João se lembrar que era agora ou nunca;
- a de nos termos enrolado;
- a de um de nós perceber que o enrolanço não tinha sido a melhor das ideias;
- a de nos zangarmos;
- a de eu voltar para o namorado que ele odeia;
- a de ele arranjar uma namorada- desta vez mesmo à séria- e eu (obviamente e de forma assumidamente ressabiada) achá-la uma baleia;
- a de não nos zangarmos, mas simplesmente deixarmo-nos de falar.
 
O João continua a ser o meu melhor amigo. Sinto que, apesar do desfecho, foi maravilhoso tê-lo tirado de cima do armário.  E, ainda que sem nos vermos e nem nos falarmos, penso que finalmente acertámos o passo e estamos em sintonia. Acabaram-se os encontros. Mas também os desencontros. Tenho saudades.
Mas gaja que é gaja tem ou já teve um João."

Não podia deixar de partilhar (e não sei se já o fiz antes) este texto da Pólo Norte que me marcou há tanto tempo... porque afinal de contas, gaja que é gaja já teve um "João". E a amizade com o "meu" "João" faz hoje sete anos no facebook, mas muitos mais na vida.

E, ainda que sem nos vermos e nem nos falarmos, penso que finalmente acertámos o passo e estamos em sintonia. Acabaram-se os encontros. Mas também os desencontros. Tenho saudades.

A coragem de uma desilusão.

 

Há três anos atrás, depois de um desgosto. De uma quebra. De uma total afinação de rotinas. Há três anos atrás, depois de desculpas esfarrapadas, de olhar para os outros em primeiro lugar. Depois de muitas lágrimas e menos uns quilos. Há três anos atrás depois de uma desilusão. Comprei uma viagem de avião e fui, de um momento para o outro, sozinha, ser feliz. É uma altura que fica sempre lembrada e poderia ser por uma situação má. Mas vejo exactamente o contrário. No dia em que precisei de forças e de ver luz no escuro, escolhi ser um pouco mais forte e ter coragem. Fui com muita vontade de estar bem. Fui por mim, apenas por mim e pelo meu ser. Pela minha paz de espírito, pelo meu bem estar, pelo meu sorriso.

Tantas e tantas vezes falta-nos a coragem para dar um passo, para mudar de caminho, para fugir às rotinas, para pôr um ponto final. Mas que tenhamos sempre a certeza de que, quando for preciso teremos mais força que alguma vez imaginámos. Que assim seja sempre. Que não nos falte força e coragem para lutar sempre pelo nosso amor próprio acima de tudo. E volta e meia lembro dessa coragem. Às vezes só porque sim, outras tantas porque preciso.

Diz que estou de férias

Parece que hoje estou a descansar de um longo dia de horas extras sem fim. Estes últimos dias foram tão absorventes que a ultima coisa que me lembro foi de dormir. Na sexta-feira foi o ultimo dia de trabalho antes das férias. Foi um dia repleto de trabalho, sem pausas quase para respirar, foi entrar num escritório às oito e meia da manhã e sair apenas às oito e meia da noite com cerca de meia hora para almoçar lá mesmo. Foi sair de lá a desejar um banho mais que qualquer outra coisa. Foi querer sair de lá sem estar a pensar que estava quase a entrar de férias, mas a querer e muito que tudo estivesse resolvido até àquele ultimo dia. Foi dar pontapés em muitas línguas inclusive na nossa. Foram palavrões. Foi um desligar o PC com vontade. Aliás com muita vontade. Tanta quanto fechar a porta e o portão. E esquecer o telemóvel do trabalho. Mas uns minutos tão escassos que mais uma vez quase nem tive tempo para pensar que aquilo estava feito. Saí do trabalho às oito e meia com uma marcação às nove na esteticista que não podia ser adiada visto que no sábado seria um dia importante. Não sei como cheguei tão rápido a casa,  e entre tomar banho e mandar uma mensagem de atraso à esteticista e comer alguma coisa estava lá. Com o cabelo ainda a escorrer água mas sentadinha para a manicura. Agora que escrevo sobre isso quase fico sem ar tal como no dia. E entre manicure, depilações e pedicure quando cai à cama quase ouvi o despertador a lembrar que estava aí um grande dia. Era o casamento da prima francesa. Era o dia da família. Longe, cansada, mas cheia de vontade de ter um grande dia. Só a caminho caí na real. Era o primeiro dia de férias. Mas logo passou porque o dia foi imensamente preenchido. Tão bom. Sorrisos lágrimas. Família. Muita dança no pé. Caipi blacks. Domingo foi metade do dia de ressaca e a outra metade a receber a família que está fora. Noite noitada na terrinha. Ontem segunda-feira festa da terrinha. Família. Mesa cheia, casa cheia. Muitos sorrisos. O jantar era para nove apareceram sem contar mais cinco. À mesa na pequena sala éramos catorze. Houve espaço para todos, comida e bebida para todos. Alguém disse à mesa - "Quando há vontade tudo se ajeita. Quando se quer dá para todos. Há casas maiores que cabem menos gente lá dentro." Como sabe bem ouvir isso e como eu fico babada com os elogios que dão à minha mãe, por ter o coração que tem e por nunca fechar a porta a quem chega. Hoje foi mesmo para descansar. Nada fiz. Foi literalmente o meu primeiro dia de férias depois deste fim de semana prolongado tão absorvente. Foram uns dias repletos de desculpas para sorrir. E como eu gosto disto!

SorrisoIncógnito

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.