Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

Música para o verão!

A propósito do quarto dia do desafio #quenuncanosfaltemsorrisos. A última música que entrou para a playlist. Dá vontade de dançar e de dizer muitas coisas. E roubar beijos. (vejam o videoclipe e percebam a mensagem!)

 

"Son muchos años que pasaron sin decir te quiero
Y en verdad te quiero
Pero encuentro formas de engañar mi corazón
Son muchos años que pasaron sin robarte un beso
Solo quiero un beso
Y por esa boca no me importa ser ladrón

No puede ser que no he encontrado todavía las palabras
Y en esa noche no dije nada
No puede ser que en un segundo me perdí en tu mirada
Cuando por dentro yo te gritaba

Déjame robarte un beso que me llegue hasta el alma
Como un vallenato de esos viejos que nos gustaban
Sé que sientes mariposas, yo también sentí sus alas
Déjame robarte un beso que te enamore y tú no te vayas

Déjame robarte el corazón
Déjame escribirte una canción
Déjame que con un beso nos perdamos los dos
Déjame robarte el corazón
Déjame subirle a esta canción
Para que bailemos juntos como nadie bailó"

 

Qual a vossa música deste verão?

Daqueles amores maiores...


Tu tens um sorriso encantador, maroto também, mas encantador.

Eu tenho uma parte tua muito boa, este coração enorme pelos nossos que faz esconder todos os nossos problemas como se sempre estivesse tudo bem. Tu nunca gostaste de dar preocupação a ninguém. És lá mulher disso. Lembro-me perfeitamente do dia que cheguei lá a casa e vi-te sentada à mesa com um lenço à cabeça. Não te ficava mal, mas não era coisa habitual. Avó que tens? Respondeste tão rápido quanto seco: Nada, porquê? Aproximei-me e subi-te o lenço, tinhas caído no quintal, tinhas um generoso golpe na cabeça e numa de não incomodar ninguém puseste o lenço. Lembras-te? Primeiro resmunguei contigo, depois rimos às gargalhadas.

Sempre foste uma teimosa do pior. Lembras-te quando me chamavas à socapa dos outros porque querias pôr-me uma notinha no bolso? Ou quando ias à loja e vias os croissants que eu tanto gosto e trazias para mim? E o quanto gostavas de me ler a cruzada, só na parte das adivinhas e nos provérbios? Lembras-te do porquê do meu chocolate preferido ser o After Eight que maravilhosamente partilhavas comigo quando eram também eles os teus preferidos? E o teu gosto de guardar folhas secas dentro de livros? E quando me chamavas à beira da máquina de costura e dizias "ainda dizem que estou velha, com a minha idade não preciso de óculos para enfiar a linha no cu da agulha". Tão fina.

Não és de beijos mas pegares nas mãos sempre foi um hábito. A tua tinha que vingar, teimosa, oh feitiozinho que herdei mas depois o coração sempre nos trama. Sempre, não é? Até ao fim...

Cá beijinho no coração e um abraço daqueles fortes que só tu davas, eh mulher forte. Sempre foste. Fazes falta. Sempre fizeste. Tu e os que não cheguei a conhecer. 

O amor é um lugar estranho. E fodido.

Perdi-te no dia em que olhei para ti sem o coração.

No dia em que decidi olhar para ti sem o coração senti que te perdi. Algures nas decisões tomadas que ficaram para trás. Nas decepções que se acumularam entre nós, no muro que ganhou terreno.

Hoje sei que (foi naquele preciso momento em que após mais um dia normal juntos nos despedimos e eu olhei-te sem o coração) não volta. Naquele instante soube que já não era o que tinha que ser. Quisesse ou não. Muito ou pouco.

O amor é uma base que não serve só de suporte se os alicerces tiverem fendas. E às vezes o importante é pores o coração de lado e tentares enxergar com o discernimento necessário para que os sentimentos não toldem a realidade.

O difícil não é lutar e acreditar. O difícil é desistir, quando queres ficar. Quando queres que as coisas dêem certo. Quando vives o hoje. Bem.

Perdi-te no dia em que olhei para ti sem o coração.

Foi assim que consegui perceber que não éramos um, éramos dois, cheios de caminhos e travessas para percorrer. Sozinhos. Percebi então que o caminho não seria junto. É difícil. Foi difícil. Mas quando olhas sem o coração e a desilusão está à vista é aí que te apercebes que não vale a pena continuar a insistir no que não é. No que não tem volta a dar. Nem tudo tem volta a dar. E quando decides deitar a toalha ao chão não é a tarefa mais fácil. Por mais que te digam que há solução, que nada é impossível que basta querer. Não.

Quando deixas de acreditar, de sorrir, de ficar estranha, quando sentes aquele abalroar cá dentro que não explicas. Quando vês as feridas já nas cicatrizes. Quando a oportunidade já não é agarrada pela primeira vez. Não é que seja impossível, é acreditar que talvez não seja o possível que queres para ti.

Quando consegues perceber que estás a calçar um sapato, aquele que está no topo das tuas preferências, mas que já te fez bolhas e ultimamente está a ficar desconfortável até que chega um dia que reparas na realidade ele não serve. Deixou de servir. Estás só a tentar calçar um sapato que não é para ti.

Podes decidir o que queres fazer com ele, mas a primeira decisão é que não o voltas a tentar calçar.

Às vezes é preciso olhar sem o coração. Por muitos outros dias que não o tenhas conseguido fazer. Sem filtros. 

Foi nesse mesmo dia em que te olhei sem o coração que, perdi-me de ti.

[ ♥ ]

O amor é um lugar incrivelmente estranho. E bom. E fodido!

 Voar alto amor

 

Deixa-te estar no teu canto se não for para me fazer sorrir. Mais. Se não for para me fazer sonhar. Mais. Se não for para me fazer querer ser mais. Não deixando de ser eu. Se for para me tirar da minha zona de conforto que seja com vontade. Sem medos. Com confiança. Deixa-te estar no teu canto e eu no meu, se não for para partilhar gargalhadas até a barriga doer. Se não for para caminhar lado a lado. Se não for para ter vontade de correr riscos. De ir. De querer ir, muito.

Não dês um passo em frente se não for para ser firme. Não fiques se não for para sentir. Não tentes sequer se o mínimo não for querer muito. Deixa-te estar no teu canto se não for para dar vida aos dias e fazer valer o tempo. Que seja intenso.

Eu não acordo sempre com este sorriso. Tem dias que bato o pé. Que tenho mau feitio. Que não me apetece. Deixa-te estar no teu canto se não te dispões a isto.

Não venhas cuticar as minhas emoções, os meus sentimentos. Não me habitues a sentir-te a falta. Para isso, deixa-te estar na tua zona de conforto. E eu na minha. Sem apego. As coisas são fáceis e simples. Para quê complicar?

Pensa bem e não me faças nem sequer tirar os pés do chão se não for para me fazer voar alto. Bem alto.

[ ♥ ]

O amor é um lugar incrivelmente estranho. E bom. E fodido!

Amo-te

 

Quando se está deve ser porque se quer estar. Mesmo. Sentido. Do querer muito. E não porque faz parte, porque querem, porque não se tem mais que fazer. Não percas tempo com quem não queres, interessa-te só por fazer valer a pena o tempo que gastas com alguém. E quando estás, está a 101%. Faz com que o sintam. Não beijes por beijar, não abraces se não o queres, não fiques se não é para sentir. Não digas amo-te se nem sabes o que isso significa. Não mostres de ti, aquilo que te trará marcas. Não comeces a dar aquilo que sabes que não vais terminar. Não tentes aquilo que não és capaz. Não faças de ninguém um brinquedo se não gostas de ser o brinquedo de ninguém. Não faças nada para os olhos de outros que apenas te magoará o coração. Não gostes mais de ninguém que o que gostas de ti mesmo.

E no dia em que eu disser que quero ficar é porque quero mesmo. No dia em que eu digo que és o que quero é porque és. Acredita. No dia em que concordar em idealizar o amanhã contigo, tens-me. No dia em que conseguir dizer AMO-TE, é porque as minhas certezas chegaram, é porque acabaram-se os medos, é porque o gosto de ti e o adoro-te já não chegam, é porque sinto que independentemente do que quer que aconteça eu não me arrependerei de o ter dito, é porque é amor o que sinto por ti, é porque o meu coração é teu, é porque sempre me sinto apaixonada quando dizes que vens, é porque fico com aquele sorriso parvo, é porque sempre que estamos o desejo é mais forte, é porque o dia de amanhã também conta.

No dia em que conseguir dizer AMO-TE, acredita, eu nunca o faria só porque sim.

É preciso lembrar-nos a coragem que temos.

Esta passagem de ano foi diferente.

Passei a passagem de ano em casa, com os meus, após muitos anos voltamos a estar todos juntos. Não faria sentido viver aquela noite de outra maneira. Eu queria mesmo era aproveitar estar ali com eles. Fosse o "ali" onde quer que fosse, mas verdade seja dita, nada melhor que na nossa casa.

Era meia noite, depois da contagem decrescente já com as passas na mão e com o intuito de subir à cadeira, como gosto de fazer, eis que surgiram os foguetes, e entre os abraços e os beijos, a corrida até à porta fez-se. Estava adoentada, não fui para a varanda, fiquei ali mais na zona de dentro da porta, e enquanto se via as cores no céu, eu ali perdida a pedir os meus desejos enquanto comia as passas com os meus mais importantes no filtro dos olhos apenas senti uma coisa, uma força, grande, de querer que este ano me seja mais. Fechei os olhos e senti que era aquele amor que quero manter e trazer o que me acrescenta. Chega de oportunidades falhadas e pensar que sempre pode dar certo. Chega de querer saber se todo o mundo está bem. Desde aí consegui ter a força de me desligar mesmo de quem eu precisava.

Apenas é preciso de quando em vez, lembrar daquele preciso momento em que a força chegou e do filtro dos meus olhos. É passar a informação ao coração. Só para a força se manter. Está a ser diferente. Pela primeira vez, quero muito isto. Por mim. Que não nos falte força e coragem para lutar sempre pelo nosso amor próprio acima de tudo. E volta e meia lembro dessa coragem. Às vezes só porque sim, outras tantas porque preciso.

O amor é um lugar estranho.

love quotes

 

Um dia vais encontrá-lo. Vais encontrar alguém que se preocupa realmente contigo. Ele vai ajudar-te com as compras, vai preocupar-se se te sentes bem com o que vestiste ou se precisas de um casaco porque vai estar fresco. Vai tirar-te o cabelo da cara enquanto falam e vai segurar na tua mão quando sentir que é necessário. Vais encontrar aquele que quer sonhar contigo, aquele que se senta contigo no sofá debaixo da mantinha a ver um filme no sábado à noite enquanto os copos e os amigos se ajeitam. Vais encontrar alguém que quer ir, mas que quer que vás com ele. Que te vai dizer que tens mais defeitos que o que pensava e que são eles que te fazem ser quem és. E que ele gosta. Vais encontrar alguém que partilhe contigo as batatas fritas do seu prato enquanto comes pizza. Aquele que enquanto falas vai ficar a olhar com um brilho nos olhos e que esquece que o telemóvel existe. Esse mesmo que não sente necessidade de falar para o mundo quem sois, mas que faz questão de deixar bem claro o que quer contigo. Ele, que vai ligar-te às duas da manhã, ou às cinco da tarde só para dizer que tens o olhar que lhe faz falta. Que te vai mandar uma mensagem do nada a dizer que tem saudades. Aquele que no meio do jantar ao perguntar qual vinho queres, vai dizer-te com todas as letras, gosto de ti.

Um dia vais encontrá-lo. A ele. Ao homem da tua vida. E talvez seja aí mesmo, a primeira vez que vais acreditar.

[ ♥ ]

SorrisoIncógnito

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.