Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SorrisoIncógnito

Todo o sorriso é apaixonante devido ao incógnito que o ofusca! SORRIR_um estado de espírito...

Halloween

Nunca fui muito de celebrar a noite das bruxas. Farta de bruxas e karmas ando eu e diabinhos... bem é melhor nem falar no assunto. Mas cada vez mais querem celebrar coisas que não são típicas nossas mas sim de outros países e trazer ao nosso. Sinceramente? Parece-me que cada vez mais neste dia é um carnaval que propriamente uma noite das bruxas. Impressão minha?

I'm back!

Na passada terça-feira, quando disse que era um dia não e que nunca é um bom dia quando não se ouve música, de facto não foi. E quando disse que com certeza no dia seguinte seria melhor... não foi. Aliás foi um dia bem pior.

hospital.jpg

 

Graç'à Deus está tudo normal, já estou melhor e quero agradecer àqueles que mandaram mensagens, emails, deixaram comentários.

De facto, mesmo não ter estado com cabeça para vir cá, vi sempre as vossas palavras e sabem sempre bem.

Hoje é sexta está um dia lindo lá fora e diz que o fim-de-semana vai ser mais do mesmo, por isso aproveitem. E se for prolongado, minhas bestinhas, aproveitem ainda mais.

Eu vou fazer o mesmo.

Cá beijinho.

Ultrapassamos as 240.000 visitas. Oh yeah!

Dos dias não.

Nunca é um bom dia quando não te apetece sequer ouvir música. Quando não te apetece falar. Com ninguém. Quando o silêncio é companhia boa. Quando muita claridade não faz bem. Quando estás de camisa e casaco e o colega do lado de t-shirt. Nunca é um bom dia quando logo pela manhã já só pensas na hora de voltar a casa do trabalho, quando os olhos teimam em fechar e quando a cabeça quer encosto. Quando o estômago está embrulhado. Quando os cheiros são incomodativos. Quando as redes sociais te chateiam e não cuscas um único blog. Quando não atendes o telefone porque não estás para ninguém e quando aquele sorriso não sai. Quando no trabalho te dizem "vai embora". Quando queres somente o teu cantinho e ser invisível.

Nunca é um bom dia quando não se ouve música. Hoje não consigo.

Da Casa dos Segredos 6 #1

Não sigo esta casa dos segredos como cheguei a ver outras. Porque havia uma piada em ver principalmente a gala de domingo à noite noutras edições. Sinceramente, tirando a Carla que tem um sotaque Açoriano "riquinho" tudo é feito de apenas e quase só discussões.

No entanto tenho que bater palmas a uma situação ali dentro.

Aquilo é um jogo. Ponto final. Há regras que têm que seguir. Sendo já a edição que é, ninguém vai para lá de olhos tapados e todos sabem para o que vão. Não há inocentes e há muitos jogadores. Podem escolher ser quem quiserem lá dentro, mas não se podem esquecer dos mandamentos da voz, do respeito e educação.

Em todas as edições, com as mais variadas personalidades nunca ouvi alguém desrespeitar "a voz" como nesta situação. Mas, de há muito que estes dois juntos só estragam uma casa e que educação e respeito pelo próximo não é coisa que lhes assista. Cá fora não sei e quem sou eu para julgar quem quer que seja. Mas ali no jogo, nunca vi igual, por mais que todos uma vez ou outra ignorem "a voz", insultarem-na nunca vi, nem se poderia tolerar as palavras dirigidas a quem ali manda.

Já foram foi tarde.

 

 

Desafio 52 semanas | Semana 35/52

Semana 35: As minhas piores compras foram...

 

Eu adoro compras é verdade, mas sou uma pechincha e pondero muitas vezes antes de gastar o dinheiro "a torto ou a direito". Mas às vezes sai-nos o tiro pela culatra e as compras não são assim tão boas como pensávamos. Tenho mais "boas compras" a comentar mas vamos lá que me lembre...

Relógio da One - Nem de propósito a falar disso há pouco tempo. Continuo a adorar o relógio mas os problemas com a garantia e a demora a arranjar que me trouxe dá para considerar a pior compra de todo o sempre. Foram 169 Euros. Nunca me tinha acontecido igual com nada.

Botins - Ainda este ano vou tentar arranjar forma de os alargar. Mas parece-me impossível. Comprei-os e usei duas ou três vezes, agora parece que o meu pé não cabe lá dentro. Considero pior compra só porque não lhe estou a dar o uso que gostaria. Com muita pena porque são giros. 

Maquilhagem - Continuo o mesmo desastre de sempre em maquilhagem. Acho que cheguei ao ponto de nem vale a pena comprar. Acabam por não ter uso e estragarem-se. Se bem que ultimamente eu bem que tento.

Vestido - O ano passado por volta de Junho tinha um casamento e lembro-me de comprar um vestido na H&M comprido que gostei. Cheguei a casa e ao pôr um salto alto não consegui gostar daquilo. Foi a primeira vez que pedi devolução do dinheiro e até agora a única, por ter sido uma compra completamente falhada, tive a sorte de conseguir voltar atrás senão provavelmente estaria lá ainda com a etiqueta. Mas já aconteceu comprar mais peças (mais baratas) e depois não conseguir usar aquilo e aí dou.

#52semanas

E piores compras desse lado?

One - as grandes marcas também falham, em grande!

Já estive para escrever sobre isto mil e quinhentas vezes, mas cada vez que o penso em fazer só me enervo mais um pouco. O post já foi aberto umas quantas e retido em rascunhos e isso só me faz ter a noção de como este assunto anda a ser arrastado há demasiado tempo. Infelizmente.

De uma coisa tenho a certeza, o cliente não tem sempre razão, se assim fosse, as marcas tinham que ser mais responsáveis quando cometem erros.

Em Dezembro do ano passado, após algum tempo em que andei apaixonada pelo relógio da ONE do 3 em 1 na caixa e até pedi ao Pai natal... resolvi oferecer como presente a mim mesma no Natal na cor gold rose. O relógio não foi nada barato, mas estava confiante que era merecido e começaria ali uma longa relação de cumplicidade, sempre juntinhos. Não poderia ter estado mais enganada.

Comprei o relógio no dia antes de Natal. E comecei a usá-lo no Natal.

relógio one

Em Janeiro faço anos e foi-me oferecido um relógio da Miss Sixty muito giro, andava com o da One nem há um mês com a pulseira mais fina e troquei para que quem mo ofereceu também visse que gostei do presente. Este relógio andou comigo cerca de um mês até que decidi usar o da One novamente. Achei qualquer coisa estranha na cor, até porque um e outro tinham o mesmo tom, mas pensei que fosse impressão minha. Passado uns dias a cor do One definitivamente não me parecia nada igual e resolvi passar na ourivesaria que o comprei. Prontamente concordaram comigo e disseram que a cor do relógio tinha modificado, a cor do mostrador e da bracelete estavam diferentes. Avisaram-me "olhe isto vai como garantia e normalmente demora cerca de um mês". Eu apenas pensei, fazer o quê, era o ter que ser. Quase dois meses depois chegou o relógio. A próxima fotografia data de 4/06/2016 provavelmente quando recebi o relógio. Relembrando que o relógio traz mais duas braceletes ao se pôr uma ao lado das outras, mais uma vez a cor não tinha nada a ver, aliás como se percebe perfeitamente na fotografia.

relogio one.jpg

 

Vai de ir tudo novamente para trás, para a garantia, "sabe como é, mais ou menos um mês". Passou um mês, passou dois e nada. Então o relógio perguntei eu. Ligaram e a resposta que tiveram foi que com as férias atrasa sempre um pouco e coisa e tal, mais uns dias. Uns dias depois, já completamente desiludida mas com muita paciência com isto voltei à carga. Então o relógio? Convém aqui dizer que passei todo o verão sem ele (que era a oportunidade de usar aquela bracelete branca que vem na caixa). Ligaram e deram-me a resposta, "olhe afinal vão dar-lhe um relógio novo, na próxima semana dizem que enviam, assim que chegar ligamos consigo". Não consigo precisar o dia em que me ligaram mas foi na semana de 5-9 de Setembro (vejam o tempo que passou!!!). Nesse mesmo dia dirigi-me à loja para ir buscar o relógio. Relógio novo. Tiraram-se as etiquetas e estava com pressa. Vim embora. Na sexta-feira dia 9 de Setembro pego nele para lhe colocar a bracelete branca, que ia a combinar com a roupa que ia usar na festa no dia 10 que tinha. Reparo, as horas não estavam certas, ao pegar no relógio para ajustar as mesmas eis que ao clicar para fora aquele botão de ajuste ele sai completamente. O "pino" (ou lá como se chama) estava solto. Não dava para ajustar nada, porque o "regulador" não estava bem, estava solto. No dia seguinte sábado, dia 10 de Setembro, às nove da manhã lá estava eu a dizer o sucedido e deixei bem claro. Nunca mais. Este serviço da One desiludiu-me por completo. "Vamos manda-lo já para a garantia e dizer para serem urgentes visto que isto já é uma situação bastante demorada".

Hoje é dia 18 de Outubro de 2016. Sabem alguma coisa do meu relógio da One, que não custou 20€, nem 50€, nem 100€, mas precisamente 169€?

Nem eu.

E a bracelete fofinha branca para usar no verão? Só se for do próximo ano. O relógio vem com garantia de dois anos e um já quase passou sem eu praticamente o usar. Ou seja, compro um relógio da nova colecção e quando o for realmente a usar já é da antiga. No mínimo deveria trazer um da nova colecção.

Fico mesmo triste. Eu amei aquele relógio à primeira vista.

Minha querida One, é de ficar satisfeita não é?

#sóquenão

Let’s talk about sex or men's is the same! *6*

Tive um fim-de-semana "no stop" de trabalho. Acontece de quando em vez. Desta devido a uma feira de exposição. Já aqui falei várias vezes que no trabalho raramente lido com mulheres. Só homens. Ora na feira durante estes três dias de trabalho, não foi diferente. A minha convivência foi quase exclusivamente e apenas com homens. Desde colegas de exposição, clientes, fornecedores e amigos que o trabalho já me trouxe. Trouxe um sono irremediável. Um cansaço para curar durante esta semana. Peripécias, histórias, experiência, gargalhadas e mais umas quantas ilações de conversas encontros e afins. Trabalhar há tanto tempo nesta área faz com que muitas vezes já nem usem filtros em determinadas conversas porque sabem que à partida, já ouvi coisas (e vi) que são propícias a quem lida todos os dias apenas com homens. Num destes dias, ao almoço éramos quatro. Eu e três homens. As conversas começaram por eles e sim é basicamente aquilo que uma mulher pensa quando eles se encontram. Começaram a falar de trabalho, uma cusquice ou outra (sim os homens também são uns cuscos), passaram inevitavelmente pelos carros e acabaram, claro está, em mulheres. Ouvi de tudo, porque tal como disse às vezes esquecem-se que ali estou eu e não usam filtros. Quase no fim um deles pergunta-me, "estás à espera de conhecer um homem que não seja assim? És capaz de conhecer um por cento, só um conselho, certifica-te se é homem". Aquilo, independentemente do que penso sobre esse assunto, deu para umas boas gargalhadas. Há coisas que cada vez mais menos confusão me faz, porque fazem-nas parecer tão banais, que qualquer coisa que eu vá dizer sobre o mesmo não terá importância e depois ainda me perguntam, estás sozinha? Porquê?

Há 0.05% de vontade de acreditar que poderei um dia encontrar alguém em quem confiar. Mas enquanto me infiltrar nas conversas que me infiltro(am), sem filtros, não será com certeza fácil de confiar.

Dei por mim, enquanto comia uma coisa ou outra a pensar "isto até parece que lhes está no sangue". E provavelmente está.

Pressão psicológica.

Aquando um dia destes, o telefone da empresa tocou e fui eu a atender.

"Estou sim?"

Do outro lado uma voz seca, directa e num tom desagradável, nada simpático:

"Olhe estou a ligar porque há um menino x que foi abandonado pelos pais e tem uma doença grave e está a morrer, precisa de dinheiro para a cura, quer ajudar?"

Começo eu, de testa franzida pelo tom da senhora, como se a mesma me pudesse ver: "Olhe desculpe, sabe, eu sinceramente.." interrompendo-me diz-me "não quer ajudar? Sabe que, ele já foi abandonado pelos pais e se você também não o quer ajudar ele vai morrer!".

...

...

Fui fria, engoli em seco meia dúzia de vezes e só lhe consegui dizer que, sempre que posso ajudar alguém que precisa eu tento. Desliguei a chamada ainda a tempo de a ouvir dizer "olhe que deus esteja consigo!" com um tom não menos arrogante que toda a conversa.

Não consegui tirar aquilo da cabeça e a voz da senhora entoava-me. Fiz uma chamada solidária para a ONV só para ouvir que ajudei uma criança a sorrir, não para me justificar com o que quer que seja, já não é a primeira vez que tento contribuir na onv ou de outra maneira possível das tantas que há. Mas aquela voz não me "largou". O dia correu-me mal. Cheguei a casa ainda meia incrédula e desabei em lágrimas enquanto contava aos meus pais. Que rapidamente me fizeram "desanuviar" o problema.

A senhora não se identificou, não houve mais dados, zero de informações, foi somente aquilo. Mas aquilo foi suficiente para eu me sentir mal e ter um misto de emoções internas que só consegui extravasar quando chorei de raiva e partilhei o que me aconteceu.

Não me martirizei mais por isso, infelizmente sei que todos os dias há crianças em luta pela vida e que todos nós temos o dever de ajudar quando pudemos. Não chegamos é com as mãos a todos. É um facto. E sou uma desconfiada em pedidos de ajuda principalmente à distância, nada identificados. A vida faz-nos assim. Um miúdo na rua pede-me dinheiro para comer, ou pago-lhe a comida se quiser ali na zona, não dou dinheiro para cair nas mãos de outros.

Gosto imenso de ajudar, mas não gosto de pressões psicológicas.

Confesso, senti uma raiva que, ainda hoje, não consigo explicar.

O amor é um lugar estranho.

love quotes

 

Um dia vais encontrá-lo. Vais encontrar alguém que se preocupa realmente contigo. Ele vai ajudar-te com as compras, vai preocupar-se se te sentes bem com o que vestiste ou se precisas de um casaco porque vai estar fresco. Vai tirar-te o cabelo da cara enquanto falam e vai segurar na tua mão quando sentir que é necessário. Vais encontrar aquele que quer sonhar contigo, aquele que se senta contigo no sofá debaixo da mantinha a ver um filme no sábado à noite enquanto os copos e os amigos se ajeitam. Vais encontrar alguém que quer ir, mas que quer que vás com ele. Que te vai dizer que tens mais defeitos que o que pensava e que são eles que te fazem ser quem és. E que ele gosta. Vais encontrar alguém que partilhe contigo as batatas fritas do seu prato enquanto comes pizza. Aquele que enquanto falas vai ficar a olhar com um brilho nos olhos e que esquece que o telemóvel existe. Esse mesmo que não sente necessidade de falar para o mundo quem sois, mas que faz questão de deixar bem claro o que quer contigo. Ele, que vai ligar-te às duas da manhã, ou às cinco da tarde só para dizer que tens o olhar que lhe faz falta. Que te vai mandar uma mensagem do nada a dizer que tem saudades. Aquele que no meio do jantar ao perguntar qual vinho queres, vai dizer-te com todas as letras, gosto de ti.

Um dia vais encontrá-lo. A ele. Ao homem da tua vida. E talvez seja aí mesmo, a primeira vez que vais acreditar.

[ ♥ ]

Pág. 1/2

SorrisoIncógnito

É proibida a reprodução parcial/total de textos deste blog, sem a indicação expressa da autoria e proveniência! Todas as imagens aqui visualizadas são retiradas da internet, com a excepção das minhas as quais identifico. Do mesmo modo, este blog respeita os direitos de autor,mas em caso de violação dos mesmos, agradeço ser notificada.